Belo Horizonte registrou um triste recorde desde o início da pandemia, com uma média de 49,67 sepultamentos por dia em abril deste ano. O levantamento leva em consideração os quatro cemitérios púbicos da capital mineira. Em comparação com 2020, houve um aumento de 90%, com uma média de 26,1 a cada 24 horas.

De acordo com a prefeitura, ao todo, 1.490 pessoas foram enterradas nas necrópoles do Bonfim, da Consolação, da Paz e da Saudade no último mês, o mais letal nos registros de casos de Covid-19.

Até agora, 4.837 sepultamentos foram registrados em 2021, sendo 1.114 em janeiro, 875 em fevereiro e 1.358 em março, que teve a segunda maior marca no município. A média diária, segundo a prefeitura, está em 40,3 neste ano.

Ainda segundo a administração municipal, o trabalho de criação de novos jazigos é um serviço de rotina. "Com a pandemia, foi necessário ampliar o quantitativo disponível proporcionalmente à demanda, e, para maior segurança, foi estabelecida uma reserva técnica a fim de atender com dignidade a população, caso o número de óbitos tenha acréscimos mais acentuados. Até a data de hoje, estamos mantendo diariamente uma reserva técnica de 100 gavetas disponíveis para sepultamento imediato de forma preventiva", informou.

Leia Mais:
Taxa de transmissão da Covid-19 em BH cai pelo segundo dia consecutivo
Vacinas da Pfizer são armazenadas em freezers de universidades em BH
BHTrans cria mais uma linha direta para desafogar estações do Move na pandemia