A Justiça Federal autorizou o governo de Minas a comprar mais 300 ventiladores pulmonares para auxiliar no tratamento contra Covd-19 com parte do valor de R$ 120 milhões que foram pagos pela mineradora Samarco em ações ligadas à tragédia de Mariana.

O montante, disponibilizado aos estados de Minas e Espírito Santo faz parte dos R$ 2,2 bilhões já depositados pela Samarco, Vale e BHP como parte da reparação pelos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão na cidade da região Central do Estado, em 2015, que deixou 19 pessoas mortas e devastação irreparável ao meio ambiente.

O governo já tinha adquirido 747 ventiladores pulmonares a um custo de R$ 43,9 milhões, totalizando agora 1.047 equipamentos. Os respiradores deverão ser entregues ao Sistema Único de Saúde (SUS) em maio.

Em sua decisão, o juiz Mário de Paula Franco Júnior disse que "o interesse público, dadas as condições atuais, que não podem ser desconsideradas, encontra-se suficientemente presente e atendido".

Ainda de acordo com a Justiça Federal, o governo de Minas deverá informar, no prazo de 15 dias, detalhes da destinação dos equipamentos, viabilizando inspeção no local. 

“A aquisição desses respiradores mostra que estamos nos preparando ainda mais para o enfrentamento da Covid-19. Nossos esforços são para minimizar a curva de tendência da doença, garantindo assistência a todos os mineiros”, ressalta o governador Romeu Zema.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou nesta quarta-feira (29) que o número de mortes por coronavírus subiu de 71 para 80 em Minas. Outros 95 óbitos seguem em investigação. O número de casos confirmados é de 1.758. O informe epidemiológico ainda aponta 81.728 casos suspeitos.

Em Belo Horizonte, há 577 casos confirmados de coronavírus e 16 mortes.

Leia mais:
Indenizações de mineradoras vão custear construções de quatro hospitais regionais em Minas