A disparada no índice de transmissão por infectado (RT) pela Covid-19 lança novo alerta para a pandemia na capital. Para a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), o número divulgado nesta segunda-feira (1°), de 1,20, é "preocupante". Infectologistas do Comitê de Enfrentamento à doença irão se reunir na quarta-feira (3). Um recuo na flexibilização para barrar o avanço da enfermidade não está descartado.

Conforme a PBH, a taxa demonstra que a velocidade de contágio aumentou "consideravelmente" – no boletim de sexta-feira (26) o Rt estava em 1,06. Possíveis impactos em níveis mais críticos nos leitos de internação dos pacientes com coronavírus, no entanto, dependem que esse patamar se mantenha elevado nos próximos dias.

Um dos possíveis motivos para o salto nos índices é o Carnaval. Conforme o Hoje em Dia mostrou, apesar da folia não ter ocorrido nas ruas, muita gente se reuniu dentro de casa, viajou e até celebrou em festas clandestinas. 

"Há a hipótese de impacto do Carnaval e, por isso, devemos acompanhar a dinâmica da doença durante esta semana para definir os rumos da flexibilização", informou a PBH. Ainda segundo comunicado, a administração municipal destaca que a cidade foi uma das primeiras do Brasil a adotar medidas restritivas e a criar um grupo de médicos para orientar sobre as ações de enfrentamento da pandemia.

"Em dezembro, foi proibido o consumo de bebidas alcoólicas nos bares e restaurantes e, na segunda semana de janeiro – adicionalmente -,  foram fechados os bares e o comércio da cidade (atividades não essenciais) por 3 semanas", diz a prefeitura.

Nesta segunda-feira, os principais indicadores que avaliam a evolução da Covid-19 em BH subiram. Além do Rt, que chegou a 1,20, o índice de ocupação dos leitos de UTI para pessoas com a doença chegou a 74,7%. Ambos estão no nível vermelho.