Passageiros que trabalharam em home office por causa da pandemia, e por isso não utilizaram o transporte público em Belo Horizonte, foram surpreendidos com o "sumiço" dos créditos do cartão BHBus. O recolhimento do valor das passagens, segundo explicou a BHTrans, aconteceu porque os créditos duram apenas 180 dias.

No entanto, todo o montante recolhido está sendo devolvido pela Transfácil. A empresa que gerencia os cartões BHBus informou que os valores serão restituídos automaticamente e terão nova validade de mais 180 dias. 

Em decreto publicado no Diário Oficial do Município (DOM), o presidente da BHTrans, Celio Bouzada, prorrogou por mais seis meses o prazo de validade dos créditos. A medida, conforme o texto, valerá para os vales-transporte eletrônicos adquiridos entre 1º de fevereiro e 31 de julho. 

"O Consórcio Operacional TRANSFÁCIL, responsável pela administração dos créditos eletrônicos BHBUS, deverá realizar a prorrogação de validade de forma automática, diretamente nos validadores dos ônibus e das Estações de Integração e Transferência municipais", diz o texto.

A Transfácil informou que acatou a decisão e prorrogou o prazo, além de ter feito a devolução dos créditos automaticamente. Quem ainda não teve os valores restituídos, deve ligar para o número (31) 3248-7300 e fazer a solicitação.

Leia mais:
Casas de festas e feiras livres têm autorização para funcionar em Contagem; veja regras
Ensino médio e superior voltam quando BH tiver 50 casos de Covid por 100 mil habitantes
Indicadores estão estáveis, mas BH ainda tem mais de 2,5 mil pessoas com Covid no momento