A Polícia Civil vai instaurar um inquérito para investigar a morte da pequena Fabrini Adriene Andrade Barbosa, de 8 anos, que morreu após ter sido atropelada por uma van escolar na noite dessa quarta-feira (12) em Sarzedo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O velório na cidade estava previsto para começar às 16h.  

Segundo a Polícia Militar, por volta de 18h, a van parou em uma rua do bairro Jardim Anchieta para as crianças desembarcarem. Após isso, o motorista arrancou o veículo, mas escutou o grito de uma criança e parou novamente. Era Fabrini, que ao descer do transporte, deixou cair embaixo da van um desenho que ela fez na escola para presentear a avó, e voltou para buscar. 

A monitora do escolar disse ao motorista, de 36 anos, que a criança estava debaixo de uma das rodas. Ela foi socorrida na hora por vizinhos e levada para a UPA de Sarzedo ainda consciente, mas acabou falecendo na unidade. 

A morte da criança causou uma grande comoção na cidade e as aulas na Escola Municipal Antônio Pinheiro Diniz foram suspensas nesta quinta-feira (13). A prefeitura da cidade está avaliando se haverá funcionamento da instituição nesta sexta-feira (14). 

Por meio de suas redes sociais, a Prefeitura de Sarzedo emitiu uma nota de pesar:


Acidentes já mataram 47 crianças este ano 

Somente nos primeiros nove meses deste ano, 47 crianças de 0 a 7 anos morreram em acidentes de trânsito em Minas Gerais, segundo um levantamento da Seguradora Líder. No total, foram 260 crianças vítimas de acidentes em rodovias e ruas mineiras, sendo que 149 delas sofreram invalidez permanente. Já no ano passado, foram 458 crianças vítimas de acidentes, das quais 95 perderam a vida e 317 ficaram inválidas. 

Como evitar

Segundo o soldado Glauber Fraga, assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o que aconteceu em Sarzedo foi uma fatalidade que poderia ser evitada. "Quando vai haver o embarque e desembarque de crianças no transporte escolar é necessário que haja um monitor que fique responsável por este acompanhamento, vigiar se a criança entrou ou não no veículo, porque para o motorista é difícil acompanhar isto, saber se a criança saiu e se está segura", explica. 

Para os pais e responsáveis a dica é ter atenção. "Se for tirar o carro da garagem e há criança na casa, é importante ter alguém do lado de fora do veículo observando para ver se o pequeno está por ali. São acidentes esporádicos, mas quando acontecem, são muito trágicos". 

Já no trânsito, é importante lembrar que a criança tem uma capacidade de locomoção menor do que os adultos. "O passo dela é menor, então não dá para expor a criança ao risco. Os pequenos devem ser vigiados sempre. Ao atravessar a rua, por exemplo, quando estamos com uma criança, temos que atravessar na faixa de pedestre e respeitar a sinalização, não dá para atravessar correndo quando o sinal está fechado para pedestres, por exemplo, porque há o risco dela não conseguir acompanhar, tropeçar e ser atropelada", conclui Fraga.