Após ter a casa destruída por um incêndio provocado pelo filho, de 2 anos, um casal de Januária, no Norte de Minas, tenta reconstruir o imóvel e levantar os recursos necessários para conseguir recuperar tudo o que foi perdido. TV, cama, armário, roupas, tudo foi destruído pelas chamas nessa quinta-feira (1°), mas, felizmente, ninguém ficou ferido. A família precisou abandonar a casa, no bairro Aeroporto, e ir para a casa de um familiar. 

A agente comunitária de saúde, Mayara Regina Rodrigues de Oliveira, de 29 anos, conta que já está acostumada com as bagunças do filho, mas nunca imaginou que ele seria capaz de colocar fogo na casa. 

"Era 10h30 e eu ia preparar o almoço para o meu esposo. Lá em casa deixamos todos os objetos perigosos, como facas e isqueiro, nas partes mais altas, porque sabemos que meu filho é elétrico, às vezes, até arreda as cadeiras para subir nas coisas. Eu não estava achando o isqueiro de cozinha e fui pegar o do meu marido no quarto para acender o fogão e preparar a comida", lembra. 

Pouco tempo depois de acender o fogão, Mayara viu o garotinho passar correndo por trás dela e ir para o quarto. "Nem vi ele pegando o isqueiro que eu tinha acabado de usar. Aí, logo depois, eu vi ele correndo do quarto para o quintal e senti o cheiro de fumaça. Na hora achei que era do fogão de lenha dos vizinhos, mas quando eu vi estava pegando fogo no quarto, as chamas já estavam no telhado", relata. 

Ainda não se sabe qual objeto deu vazão às chamas, mas Mayara acredita que o filho deve ter acendido o isqueiro no colchão inflável do quarto, fazendo com que as chamas se propagassem rapidamente. 

"Ele é tão espero que quando viu o que tinha feito já saiu correndo pro quintal, graças a Deus. Mas, ele está muito assustado, apavorado. Estamos ficando na casa da minha mãe e ele fica apontando para o teto e falando: 'fogo, fogo'", relata. 

Quando os bombeiros chegaram ao local, a família já estava no quintal vendo a casa ser consumida pelas chamas. A sorte, para Mayara, é que o quartel da corporação fica bem perto da casa, fazendo com que a equipe chegasse rapidamente ao local. "Só não pegou fogo na cozinha, onde tem o botijão de gás, graças a Deus". Mesmo assim, não deu pra salvar quase nada. 

"Estamos somente com a roupa do corpo. E o que eu fiquei mais sentida foi o berço dele ter queimado, as roupinhas todas", lamenta. 

A Defesa Civil interditou o imóvel e Mayara não sabe quando poderá voltar para a casa. É possível ajudar a família a reconstruir a vida doando materiais de construção para a reforma da residência, móveis, colchão, roupas de adultos e de criança, sapatos, entre outros itens, ou mesmo algum valor em dinheiro. Basta entrar em contato com a família por meio do WhatsApp (38) 9 9205-3810. Para doações em dinheiro, a conta de Mayara Regina Rodrigues de Oliveira é no Banco do Brasil, agência 0283-6 e conta 30768-8. 

Leia mais:
Incêndios na madrugada em BH e região matam uma pessoa e destroem casarão antigo
Seca e irresponsabilidade: primeiro dia do mês é marcado por vários incêndios em Minas