Um homem de 25 anos foi preso na manhã desta quarta-feira (30) depois de atacar a facadas uma menina de 5 anos e a mulher que a levava para a creche. A criança não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O caso aconteceu na rua Perdões, próximo à porta de uma escola particular no bairro Vila Cristina, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

O crime foi cometido no momento em que uma babá levava Ieda Izabel Manoel Peres e o irmão dela, de 7 anos, para uma escola infantil. Ela estava de mãos dadas com as crianças e, em dado momento, percebeu que a menina de 5 anos caiu no chão. Foi quando viu que ela estava sendo atacada por um homem, que desferiu vários golpes de faca na menina. A mulher mandou o menino correr e tentou ajudar a vítima.

Conforme relato da babá, ela tentou proteger a menina, se colocando entre a vítima e o agressor, mas o homem conseguia dar voltas por ela, acertando outros golpes na menina. A menina teria sofrido pelo menos cinco perfurações, na nuca, pescoço, tórax e traqueia, segundo informações passadas pelo perito da Polícia Civil aos policiais militares.

Segundo o boletim de ocorrência, populares tentaram espancar o suspeito, mas foram contidos por policiais, inclusive por um militar que estava de folga e auxiliou na prisão do homem. O suspeito foi encaminhado à UPA Teresópolis com cortes na boca, nas pernas e no braço direito. Após o atendimento médico, foi levado à delegacia. 

O suspeito usava tornozeleira eletrônica no momento em que foi preso. Ele teria deixado o presídio há cerca de dois meses por tráfico de drogas. 

Surto psicótico

Aos policiais militares, o suspeito afirmou, logo após entrar na viatura, que surtou e estava fazendo um pacto com o diabo. Ao ser atendido na UPA, o homem relatou que havia fumado crack a noite toda. Testemunhas, incluindo a babá, disseram que o homem ria enquanto desferia os golpes de faca na criança.

Conforme o major Paulo Roberto, comandante da 117 Cia do 66º BPM, o homem afirmou que cometeu o crime após receber ordens de uma entidade espiritual. Ele informou também que a mãe do suspeito apresentou documentos que mostram o diagnóstico de esquizofrenia. "Segundo ela, ontem, eles foram a um médico, que verificou que a medicação não estava tendo efeito e era preciso aumentar a dosagem. Mas o jovem não fez uso do medicamento", disse o major.

A família informou à polícia que tentou manter o jovem dentro de casa, ao perceber que passava por um novo surto, mas não conseguiram contê-lo. 

De acordo com a Polícia Civil, a investigação ficará a cargo da Delegacia de Homicídios de Betim. Uma coletiva de imprensa será realizada à tarde. 

Na escola particular, as aulas não foram alteradas. A menina morava nas proximidades do endereço, mas não era aluna da instituição. Ela estava a caminho do Centro Infantil Municipal (CIM) Silvina Júlia de Carvalho, onde estudava. As aulas estão suspensas nessa unidade infantil até a próxima segunda-feira (4). As demais unidades educacionais estão com atividades mantidas normalmente, de acordo com a Prefeitura de Betim. 

criança morta esfaqueada betim

Vizinhos acompanham o trabalho da polícia

O prefeito de Betim, Vittorio Medioli, decretou luto oficial na manhã desta quarta, por conta da morte da menina. "A Prefeitura de Betim, por meio da Secretaria Municipal da Educação, lamenta profundamente o episódio e vem prestando apoio e acompanhamento aos  servidores da unidade e aos familiares da criança", informou a assessoria de imprensa da administração municipal.