Já começou o Setembro Amarelo, uma campanha brasileira para coibir o suicídio, iniciada em 2015. O Ministério da Saúde vai aproveitar o mês de conscientização sobre a importância da prevenção para enfatizar a necessidade de atenção especial com o bem-estar e a saúde mental de crianças e adolescentes.

Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, o foco das ações é enfrentar o número de casos envolvendo os jovens, que tem aumentado.

O titular da pasta, no entanto, ressaltou que esse é um fenômeno mundial. Para Mandetta, o alcance e imediatismo das redes sociais podem potencializar questões que sempre causaram mal-estar entre esse público. “O bullying, por exemplo. Na minha geração, era algo circunscrito. Ficava limitado a uma sala de aula, ao pátio do colégio e, de alguma maneira, as pessoas faziam seus rearranjos. Hoje, com a internet, o bullying, às vezes, ganha uma escala nacional”, disse o ministro. “Este é o pano de fundo para o grande drama que esta geração enfrenta”.

Leia Mais:

Com mais de 12 milhões de doentes, Brasil é o país mais deprimido da América Latina, aponta OMS