O número de crimes violentos em Belo Horizonte durante o Carnaval caiu quase 41%, passando de 1.087 para 644, de acordo com a Polícia Militar. Os dados, apresentados na manhã desta terça-feira (12), consideram o período de 1º a 10 de março e reúnem ocorrências de toda a cidade, independentemente se têm ou não relação direta com a festa.

Nos dez dias de folia, a cidade registrou 17 homicídios contra 20 do ano anterior. Uma queda de 15%. Para o chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Anderson de Oliveira, a redução “deve ser comemorada”. “Reforçamos a vigilância para inibir aqueles infratores que pudessem tentar aproveitar o maior número de pessoas para esconder multidão”, disse.

Questionado sobre os casos de estupro, esfaqueamento, dentre outros, que aconteceram na Praça da Estação, o comandante afirmou que esta é uma região de grande concentração de pessoas, principalmente por ser de fácil acesso devido ao metrô, e que todo o planejamento na região será revisto. 

Segundo Oliveira, apesar dos ocorridos, o remanejamento em tempo real de militares para a área evitou que alguns problemas, como brigas e confusões generalizadas, ocorressem. No período, foram empenhados 8.500 policiais militares em serviço na capital.

Celulares

Durante a festa, vários foliões voltaram para casa sem os celulares. Mesmo assim, conforme a Polícia Militar, houve queda de 41% em roubos (de 688 para 405) e 2,5% furtos, passando de 2.662 para 2.596.

Em 10 dias, a corporação realizou a prisão de 1.539 pessoas e conduziu outros 821 menores de idade, além de ter cumprido 86 mandados de prisão. Foram, ainda, 117 armas de fogo apreendidas e outras 326 ocorrências relacionadas à apreensão de drogas.

Além dos aparelhos telefônicos, o número geral de roubos a estabelecimentos comerciais, coletivos, veículos e motocicletas, foi de 1,032 para 605. 

Violência sexual

Apesar de os dados da PM apontarem 25% casos de estupro a menos, não foi informado quantas pessoas foram presas por crimes deste tipo. No ano passado, foram 8 ocorrências, contra 6 neste ano. 

A Polícia Civil também não soube especificar quantas mulheres denunciaram agressões e importunações sexuais, ou quantos indivíduos foram conduzidos por este motivo.

Pesquisa

Uma pesquisa da Belotur mostrou que houve aumento da sensação de segurança. Para o presidente da empresa Gilberto Castro, isso mostra que "mesmo com Carnaval maior, órgãos de segurança tiveram um trabalho exitoso". 

Entre os moradores, a nota que variava de 0 a 10, a média foi 7,4. Para os turistas, o nível foi classificado no nível 8. 

Leia mais:

Carnaval de Belo Horizonte em 2019 recebeu 4,3 milhões de foliões

Carnaval de Ouro Preto tem melhor público em 5 anos, com 45 mil foliões por dia