Lançada este mês, a campanha "Amor, palavra íntima", da Cruz Vermelha em Minas Gerais (CVB-MG), pretende arrecadar calcinhas, sutiãs e absorventes para mulheres em situação de rua da capital mineira. Como mostrou a série de reportagens do Hoje em Dia sobre os moradores de rua de Belo Horizonte, embora sejam minoria dentre esta população, as mulheres estão mais suscetíveis a todo tipo de violência e demandam cuidados específicos, principalmente, em relação à saúde íntima. 

Como explica a coordenadora de Voluntariado da CVB-MG, Regina Célia da Silva, é preciso alertar a cidade sobre o grande número de mulheres em situação de rua sem acesso a roupas íntimas e aos cuidados primários. 

"Recebemos essa demanda de forma generalizada, dentro da rede sócio-assistencial que atende a essas mulheres no município e pensamos em mobilizar o público feminino e demais cidadãos de BH por essa causa tão básica de garantia da saúde, da segurança e da dignidade de todas".

A entidade recebe doações não somente de peças íntimas e absorventes, mas também itens de beleza como esmalte e batom, além de produtos de higiene pessoal como sabonete, shampoo, pasta de dente, desodorante, lenço e toalha, justamente para ajudar estas mulheres a recuperarem a autoestima.   

Não serão aceitas doações de calcinhas e sutiãs usados. Os materiais podem ser entregues à sede da CVB-MG em Belo Horizonte (Alameda Ezequiel Dias, 427 - Centro), de segunda a domingo. Para mais informações o telefone é (31) 3239.4227.

Leia mais:
Histórias de sem-teto perpassam da infância roubada a ações abusivas de fiscais 
Mães da rua: cotidiano de mulheres que vivem sob viadutos em BH é marcado por agressões
Solidão, doenças e cansaço agravam drama de idosos que moram nas ruas de BH 
Minha Casa, Minha Rua: BH tem mais sem-teto do que a população de 411 cidades mineiras