Um lugar marcado pela alegria convive com o desespero nesta quarentena imposta pelo novo coronavírus. Cerca de 30 integrantes de um circo itinerante passam por dificuldades em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

A proibição para realizar espetáculos no Circo Castelli se traduz em falta de dinheiro arrecadado para comprar alimentos, produtos de higiene e combustível para seguir viagem rumo a outras cidades brasileiras.

“Está muito difícil. Nasci no circo e nunca passamos por isso. Temos que pedir ajuda para a população”, relatou Stefany Yovanovich, integrante do grupo. 

A lona está recolhida e o ônibus e trailer, estacionados. A trupe, localizada há quase dois meses em um campo de futebol em frente ao Ginásio Poliesportivo do Riacho, é composta por palhaços, malabaristas, mágicos e contorcionistas. Ao todo, são 25 adultos e nove crianças. 

Circo


Os integrantes do circo não pedem dinheiro, e sim ajuda para conseguir medicamentos, alimentos e produtos de higiene pessoal. “Precisamos muito de fraldas e pomadas para as crianças”, destacou Yovanovich.

Como ajudar

O auxílio com comida e itens de higiene pessoal pode ser levado ao próprio circo, em frente ao Ginásio Poliesportivo do Riacho (R. Rio Paraopeba, 1200), em Contagem. Mais informações pelo telefone (31) 99850-2707.