Após a polêmica surgida da reclamação dos músicos da banda baiana Àttooxxá sobre a decoração dos quartos com quadros retratando a época da escravidão, o Dayrell Hotel se posicionou sobre o assunto. Em uma nota publicada no Facebook, o hotel lamentou que os hóspedes tenham se sentido ofendidos e disse que as obras são originárias do antigo Hotel Del Rey, que funcionava no mesmo prédio, mas afirmou que está sempre à disposição para retirar as obras imediatamente caso os hóspedes requisitem.

O posicionamento ainda aponta que as figuras trazem cenários e características de um Brasil colonial e são inspiradas na obra de Debret. "Por mais infame que seja essa parte da nossa história, não podemos esquecê-la, aliás não devemos, pois é por meio da conscientização sobre erros do passado que confirmamos nossa determinação de criar um mundo melhor para nós e para nossos filhos", declara.

A assessoria do Àttooxxá afirmou que achou o posicionamento satisfatório, mas lamentou que parte do que está sendo dito sobre os fatos é que eles quebraram o quarto, sendo que o que aconteceu foi a retirada dos quadros e um dos músicos foi mais enérgico e chutou as obras. De acordo com eles, a administração não procurou os músicos para discutir o fato e que o check-out deles do hotel foi bastante tranquilo.

Nesta segunda, integrantes da banda gravaram mais um vídeo no qual falam sobre o episódio no hotel; confira:

Entenda

Hospedados na capital antes do show que aconteceu na tarde deste domingo (21), os músicos do Àttooxxá relatam em uma live no Instagram a revolta ao se depararem com os quadros que traziam cenas da época da escravidão. "Isso insulta nossa raça, é isso que está acontecendo, (...) a visão que vocês vão ter nesse hotel é isso aqui ó", disse um dos músicos mostrando um dos quadros que retrata escravas de pé carregando coisas e o que parece ser um senhor de engenho sentado. "Em cima da cama onde a galera dorme, pra você ficar oprimido", declarou um dos integrantes da banda.

Em vários momentos do vídeo, os músicos mostram uma pasta com a logo e o nome do Dayrell e recomendam que os seguidores não se hospedem no local. Segundo um deles, a recepção chegou a ser acionada para tentar resolver o problema, mas os funcionários teriam dito que eles teriam que enviar um e-mail com a reclamação.

Seguidores que acompanharam a transmissão ao vivo mandaram várias mensagens de apoio aos músicos e também consideraram absurdo o uso de imagens como aquelas na decoração dos quartos.

Um dos integrantes da banda ainda lamentou dizendo que "quanto mais a gente caminha, mais a gente retrocede. Quem é o responsável por isso deve pensar assim até hoje de seus funcionários, das pessoas que são da nossa raça e passaram por todo esse período".

No vídeo eles declaram, ainda, que tocariam no assunto durante o show, marcado para o domingo (21) na Praça da Estação. A apresentação foi, de fato, marcada por discursos contra o racismo e a discriminação.

Leia mais:
Músicos do Àttooxxá retiram e chutam quadros escravagistas que decoravam quarto de hotel em BH