Após quatro anos de atividade, a locomotiva alemã de 92 anos está impedida de rodar por tempo indeterminado na cidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) por causa de um decreto da prefeitura. Por meio da assessoria de imprensa, o Centro de Referência Ambiental Turística (Crat), mantenedor da Maria-Fumaça, informou ter sido comunicado no dia  5 de julho que, em função de um processo judicial movido pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), o Executivo irá municipalizar o atrativo turístico.

O pedido da agência na Justiça é a cassação da liminar que permite a exploração da Maria-Fumaça em Rio Acima após vistorias do órgão constatarem irregularidades que comprometem a segurança do serviço. Entretanto, o Crat garantiu que todos os problemas foram sanados.

Uma reunião entre o mantenedor e a prefeitura foi realizada no dia 6, na tentativa de reverter o decreto. Porém, de acordo com a assessoria do Centro de Referência, não houve definição sobre a retomada das atividades. 

O secretário de Turismo de Rio Acima, identificado apenas como Beto, foi procurado pela reportagem, mas não foi localizado até o momento para comentar o assunto. 

Ainda de acordo com o Crat,  a locomotiva transportou quase 45 mil turistas brasileiros e estrangeiros nestes quatro anos.