Em menos de 40 dias, 63 árvores foram suprimidas na capital. Os espécimes apresentavam risco de queda e foram identificados após vistorias feitas por técnicos da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Todos os exemplares estavam na rota de desfiles dos blocos de rua que vão se apresentar durante o Carnaval.

Além da supressão, 745 podas foram realizadas em cinco regiões da cidade. A ação preventiva, conforme o Hoje em Dia antecipou, prossegue e, se necessárias, intervenções serão feitas até mesmo nos dias da folia. “Todas as nossas equipes trabalham durante a festa. Se suspeitarmos de algum problema, faremos novas vistorias e a manutenção devida”, garante o coordenador da Defesa Civil de BH, coronel Alexandre Lucas.

A necessidade de intervenções é avaliada por engenheiros florestais e agrônomos. O coronel Lucas garante que todos os dados são analisados com cautela para evitar medidas desnecessárias. As manutenções também levam em consideração o uso de trio elétrico pelos blocos e a fiação das ruas. 

De acordo com a Belotur, vários órgãos participam dessas definições e alguns trajetos foram remanejados pensando na segurança dos foliões.

Nessa terça-feira (6), as equipes que têm atuado na ação preventiva estiveram na avenida Augusto de Lima e nas ruas Rio Grande do Sul e Uberaba, Centro-Sul da cidade. Além de ser bastante arborizada, a regional concentra a maioria dos cortejos previstos para o Carnaval. Lá, 20 árvores foram suprimidas. Na regional Leste, que também conta com várias apresentações de grupos durante a folia, 237 podas foram realizadas. 

Riscos

Há quase 15 dias ininterruptos chove em BH e a previsão é de novas precipitações, pelo menos até sábado, o que aumenta ainda mais os riscos. 

“A água que encharca as raízes e os ventos fortes podem agravar as condições de algumas árvores. Por isso, a atenção máxima”, acrescenta o coordenador da Defesa Civil de BH. 

Também na terça, uma árvore de grande porte caiu após forte chuva na rua Pilar, no bairro Grajaú, Oeste de BH. Os galhos atingiram a fiação e parte da sacada de um prédio. Por sorte, ninguém se feriu.

Neste ano, a capital já registrou quedas de árvores nas avenidas Olinto Meireles (Barreiro), Silviano Brandão (Floresta), Andradas (Santa Tereza), José Cândido da Silveira (Cidade Nova) e Contorno (Floresta), além das ruas da Bahia (Centro), João de Paula (Sagrada Família) e Pouso Alto (Serra), conforme informações do Corpo de Bombeiros.

Poda de árvore 07022018