A Defesa Civil de Belo Horizonte emitiu um alerta nesta sexta-feira (15) para possibilidade de pancadas de chuvas com raios e rajadas de vento com velocidade de até 50 km/h, durante o feriado prolongado. A orientação é para que a população evite áreas de inundação e não trafegue em ruas sujeitas a alagamentos.

Conforme o Instituto ClimaTempo, os termômetros não devem ultrapassar os 30° durante o feriadão. Os meteorologistas da Defesa Civil apontam que o período mais crítico para as chuvas é entre a manhã desta sexta-feira e sábado (16). O céu deve permanecer com muitas nuvens.

Na últimas 24 horas, houve o registro de chuva forte em toda a capital, com destaques para as regiões Leste, Pampulha e Centro-Sul, que tiveram uma média acumulada de 19 milímetros por hora.

No entanto, conforme a Defesa Civil, as ocorrência relacionadas a chuva se concentraram nas regiões Nordeste e Noroeste, com três registros em cada. As principais solicitações são de risco de deslizamento, desabamento de muro e trincas em residências.

Confira as recomendações da Defesa Civil de BH sobre como agir durante chuvas fortes: ⠀
- Redobre a sua atenção.
- Evite áreas de inundação e não trafegue em ruas sujeitas a alagamentos e próximos aos córregos e ribeirões no momento de forte chuva.
- Não atravesse ruas alagadas ou deixe crianças brincando na enxurrada e nas águas dos córregos.
- Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores.
- Atenção especial em áreas de encostas e morros.
- Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199).
- Se você observar o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil (199).
- Em caso de raios, não permaneça em áreas abertas e altas e não use equipamentos elétricos.

Leia também:
Casa dos livros e ‘ninho’ potencial do Aedes: restos de obra em biblioteca ampliam risco de dengue
Chuva interdita BR-262, que liga Minas ao Espírito Santo
Neste feriado, 180 mil pessoas devem passar pela rodoviária de BH