A dengue já matou 107 pessoas em Minas Gerais neste ano, e outros 135 óbitos estão em investigação para a doença. Além disso, segundo o balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta terça-feira (9), o Estado já registrou 438.666 casos prováveis de dengue (soma dos casos confirmados e suspeitos). 

Na última terça-feira (2) o relatório da secretaria apontava 98 mortes. Isso significa que em uma semana outras nove mortes foram confirmadas. Neste mesmo intervalo, 11.081 novos casos prováveis da doença foram notificados; no boletim anterior eram 427.585 registros.

Betim é o município onde mais pessoas morreram por dengue, com 18 óbitos confirmados, seguido por Belo Horizonte, que contabiliza 17 mortes, e Uberlândia, com 16. Também foram registrados óbitos por causa da doença em outras 33 cidades mineiras neste ano.

Essa é a segunda maior epidemia de dengue já registrada no Estado. Segundo a SES, apenas em 2016 houve mais pessoas infectadas: 519 mil.    

Chikungunya e zika 

Uma morte é investigada para chikungunya no Estado, outra doença causada pelo mosquito Aedes aegypti. Além disso, o número de casos prováveis da doença subiu de 2.577 para 2.621 registros entre o balanço da última semana e o levantamento divulgado nesta terça (9). 

Quanto à zika, foram registrados 1.006 casos prováveis em Minas neste ano, mas, até então, nenhuma morte.  

A SES informou que o Estado está em situação de alerta para o aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes. 

Leia mais:

Número de mortos por dengue em BH aumenta para 17; quase 60 mil casos já foram confirmados no ano
Em uma semana, 12 mortes por dengue são confirmadas em Minas e número de óbitos sobe para 98