Para conscientizar a população sobre os riscos de se atravessar fora das faixas de pedestres ou de modo equivocado, o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) realizará nesta terça-feira (19), entre 9h e 11h, simulações das dificuldades enfrentadas por pedestre com mobilidade reduzida. A ação será realizada na Alameda Álvaro Celso, esquina de avenida Bernardo Monteiro, na Área Hospitalar de Belo Horizonte.
 
“Vamos simular cadeirantes, idosos com dificuldade de locomoção ou portadores de deficiências físicas e visuais tentando atravessar a faixa de pedestres para constatar se os motoristas estarão ou não atentos à Legislação de Trânsito, se respeitarão a travessia mais lenta destas pessoas e se os pedestres sem mobilidade reduzida ajudarão os demais”, acrescenta a Gerente de Educação para o Trânsito do DER/MG, Rosely Fantoni.
 
Essa ação faz parte dos trabalhos do DER/MG relativos à campanha nacional “Movimento Maio Amarelo - Atenção pela Vida”, que continuará com uma série de atividades até o dia 29 de maio. Durante os eventos haverá distribuição de fitas amarelas e folders com mensagens alusivas ao trânsito melhor e mais seguro.
 
O pedestre e o trânsito 
 
Parte mais frágil do trânsito, cerca de 370 pedestres se envolvem diariamente em algum tipo de acidente no Brasil, segundo levantamento realizado com base em pedidos de indenizações do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) no primeiro semestre de 2014. No entanto, este número pode ser bem maior porque são poucos os acidentados que recorrem ao seguro para bonificar suas perdas.
 
Apenas no primeiro semestre de 2014, foram pagas 7.806 indenizações por morte de pedestre, uma média de 43 óbitos por dia, o que corresponde a 31% dos pagamentos por morte no período. Nos casos de invalidez permanente, foram mais de 50 mil indenizações para pedestres, 20% do total de casos desse tipo que acionaram o DPVAT.