Três anos depois do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, uma tragédia ambiental semelhante em Minas ganhou destaque em todo o mundo. Enquanto equipes de resgate chegavam às áreas atingidas pelo transbordamento da barragem de rejeitos de minério de ferro do Córrego do Feijão, em Brumadinho, e começavam a estimar a extensão do ocorrido, sites de TVs e jornais em todo o mundo já repercutiam o desastre. Rapidamente o assunto se tornou Trending Topic mundial no Twitter – as hashtags #Brumadinho e #Mariana somavam mais de 200 mil citações por volta das 17h30.

"Ruptura de barragem de minério no Brasil: 200 pessoas desaparecidas", estampou na capa de seu site o francês Le Monde, baseando-se nos primeiros relatos dos Bombeiros e mostrando imagens do resgate feito com a ajuda de helicópteros. A publicação lembra do antecedente trágico do mar de lama que devastou a comunidade de Bento Rodrigues em 2015, citou a proximidade da região com Inhotim (que por meio das redes sociais confirmou a evacuação total por precaução) e a visita do presidente Jair Bolsonaro prevista para este sábado à região atingida.

"Rompimento de dique da mineradora Vale deixa vários mortos no Brasil", definiu o uruguaio El País, citando também as primeiras informações das autoridades. A britânica BBC foi outra a dar destaque à primeira estimativa de desaparecidos. Com imagens de emissoras brasileiras, o artigo diz que "um mar de lama invadiu áreas rurais do estado de Minas Gerais, no Sudeste".

O jornal inglêsThe Guardian também divulgou informações sobre o rompimento da contenção. "O desastre liberou uma onda de lama laranja depois que uma barragem de minério de ferro explodiu em Brumadinho", diz o texto. Ele ainda comenta imagens impactantes mostradas pela TV Record, que captou uma mulher toda coberta por barro sendo salva por um helicóptero.

Leia nota da Vale: 

"A Vale informa que, no início desta tarde, ocorreu o rompimento da Barragem 1 da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A companhia lamenta profundamente o acidente e está empenhando todos os esforços no socorro e apoio aos atingidos.

Havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos, indicando a possibilidade, ainda não confirmada, de vítimas. Parte da comunidade da Vila Ferteco também foi atingida.

O resgate e os atendimentos aos feridos estão sendo realizados no local pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil. Ainda não há confirmação sobre a causa do acidente.

A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais".