'Desastre vai persistir até que as águas baixem', diz secretário sobre chuvas em Minas e na Bahia

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
27/12/2021 às 11:27.
Atualizado em 29/12/2021 às 00:37
 (Manu Dias/ GOVBA / Divulgação)

(Manu Dias/ GOVBA / Divulgação)

As chuvas intensas que castigaram a Bahia e regiões de Minas Gerais devem continuar nos próximos dias. E o cenário de destruição deixa as autoridades ainda mais em alerta. Por aqui, os municípios mais afetados ficam no Vale do Jequitinhonha, do Mucuri e no Norte do Estado. 

Na Bahia, ao menos 18 pessoas morreram em decorrência das tempestades. Mais de 4,2 mil pessoas estão desabrigadas e 11,2 mil foram desalojados pelas inundações.

Segundo o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), coronel Alexandre Lucas, o desastre nos municípios dos dois estados persistirão até o fim das chuvas, já que, com a sobrecarga da água, os solos e encostas estão encharcados. 

“O problema é que, às vezes, a chuva cai concentrada em um espaço curto de tempo e em uma região também concentrada. Então esse local que já sofreu, deve ser alvo de preocupação. E a previsão é que as chuvas continuem nesses próximos dias. O desastre vai persistir até que as águas baixem. O momento ainda é de muita preocupação e necessidade de auto proteção e proteção comunitária", disse em entrevista à rádio Itatiaia na manhã desta segunda-feira (27). 

Ainda de acordo com Alexandre Lucas, a localização dos atingidos, por muitas vezes, dificulta as ações de socorro e assistência. “Principalmente na Bahia, há muitas comunidades isolados, onde chegamos apenas de bote ou por helicóptero. Dada a limitação de carga, dificulta muito porque é preciso fazer muitas viagens. Além disso, tem a questão territorial”, afirmou.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por