A solidariedade ganhou espaço no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte, nesta terça-feira (30). Dezenove presas, duas servidoras e uma visitante cortaram seus cabelos e doaram para produção de perucas que serão usadas por pacientes com câncer dos hospitais Mário Pena e Luxemburgo.

A iniciativa teve início com duas detentas, que convenceram outras mulheres a fazer a doação, que só foi possível com o trabalho de seis cabeleireiras voluntárias. De acordo com a diretora de Atendimento da unidade prisional, Maristela Andrade, as detentas entenderam a importância da boa ação.

“No início foram poucas que quiseram, e na última hora o número mais que dobrou. É muito bom ver o quanto elas entenderam sobre a importância de fazerem a doação. Eu vejo que é uma forma delas de ajudarem a sociedade para a qual de alguma forma elas fizeram mal. Eu acho que é uma remição de erros, de mostrarem que elas são capazes de ajudar outros, independente de onde estejam”, afirma.

Os cabelos doados serão enviados para o Rio de Janeiro, onde serão produzidas as perucas. Depois de prontas, são encaminhadas para os setores oncológicos dos Hospitais Mário Pena e Luxemburgo, ao dispor das pacientes.