Dois detentos da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, organizaram uma tentativa de fuga na madrugada deste sábado (5). Segundo informações da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Seap), os presos foram vistos pelos agentes da guarita no telhado de um dos pavilhões, mas foram impedidos de fugir. 

Esta é a segunda tentativa de fuga da Nelson Hungria em apenas 12 dias, diante às dezenas de fugas bem sucedidas registradas recentemente no complexo penitenciário. Ao todo, pelo menos 30 presos conseguiram escapar apenas no ano passado. O último caso aconteceu no dia 23 de dezembro, quando um detento ficou ferido ao tentar fugir.

Durante a ação deste sábado (5), os presos chegaram a cerrar algumas grades e usaram lençóis para fazer cordas na tentativa de escapar do complexo penitenciário.

A Seap informou ainda que "a direção-geral do presídio abrirá um procedimento preliminar de investigação para apurar administrativamente o ocorrido".

HISTÓRICO

Na véspera de Natal, no dia 24 de dezembro, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) pediu a interdição parcial da Nelson Hungria. O juiz Wagner Cavalieri, da 1ª Vara da Fazenda Municipal, argumentou que a penitenciária não tinham condições de receber mais detentos, diante às dezenas de fugas empreendidas no local em 2018. O juiz também determinou que a penitenciária tenha 600 agentes prisionais, ao invés dos atuais 540 servidores designados para fazer a segurança dos presos.

Em abril, a Nelson Hungria chegou a ser parcialmente interditada a pedido do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciários de Minas Gerais (Sindasp), limitando o número máximo de presos a 2 mil. Mas, segundo o juiz Wagner Cavalieri, desde a interdição parcial, não foram notadas melhorias no sistema de segurança da penitenciária.