O diretor do presídio regional de Guanhães, no Vale do Rio Doce, foi preso por suspeita de corrupção passiva, falsidade ideológica e prevaricação no estabelecimento prisional. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão na unidade prisional, na residência do investigado e de outras pessoas que teriam participado dos crimes. O diretor foi trazido para uma unidade prisional da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), os promotores receberam denúncias de que o diretor teria solicitado a um preso o valor de R$5 mil em troca de transferir o custodiado para cela do regime semiaberto. Além disso, ele teria permitido que um outro detento permanecesse no meio externo, durante semanas, forjando o exercício de trabalho externo.

O diretor também é investigado por realizar revenda de substâncias ilícitas dentro do presídio. Agentes penitenciários teriam confirmado as denúncias, segundo o MPMG.

Procurada pela reportage, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) confirmou a prisão do diretor do presídio no último dia 3. Ele está detido no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem. "A Seap colabora com as investigações e reitera que repudia toda e qualquer ação ilícita de seus servidores, que é apurada  administrativamente, e em se confirmando o desvio de conduta, punida nos termos da lei", informou.