A documentação histórica do Mercado Central, que completa, neste mês, 85 anos de fundação, será digitalizada pela prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura.
 
Com a digitalização, a história do Mercado poderá será preservada e disponibilizada aos cidadãos. Com isso, os belo-horizontinos terão à disposição um acervo sobre a história de um dos marcos da cidade.
 
O termo de intenção de parceria com a administração do Mercado Central foi assinado hoje, no próprio Mercado Central (avenida Augusto de Lima, 744, Centro). A solenidade contou com as presenças do prefeito Marcio Lacerda, do governador Alberto Pinto Coelho, e do diretor-presidente do Mercado Central, José Agostinho Quadros.  
 
O Arquivo Público Mineiro da Cidade de Belo Horizonte (APCBH) será o responsável pelo recolhimento e digitalização dos documentos. Esta ação é corroborada pela legislação municipal (Lei Municipal 5.899, de 20 de maio de 1991).
 
O APCBH já possui documentos sobre o Mercado Central e sobre a história do abastecimento do município. No Arquivo Público, os documentos do Mercado irão dialogar com a documentação histórica da municipalidade, como Projetos de Lei da Câmara Municipal de Belo Horizonte, decretos, relatórios de prefeitos, fotografias, plantas, entre outros. 
 
(*Com PBH)