Dois homens suspeitos de estuprar crianças foram presos pela Polícia Militar nos últimos três dias. Em Cataguases, na Zona da Mata, o crime foi durante uma festa de aniversário e a vítima tem apenas 6 anos. Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, o pai é suspeito de abusar da própria filha, de 8 anos.

Em Cataguases, de acordo a Polícia Militar, uma testemunha contou que no último domingo (28), encontrou o homem, de 24 anos, em um dos quartos da casa com a bermuda abaixada, tentando introduzir o pênis nas nádegas da criança. Após o flagrante, a mulher chamou outras pessoas que também estavam no local e o suspeito chegou a ser agredido com vários socos.

A mãe da criança, que também estava na festa, relatou aos militares que a filha teria contado que o homem passou a mão em partes do corpo dela e neste momento ela teria apontado para a vagina. A menina foi levada para o pronto-socorro da cidade onde fez exames e recebeu atendimento médico. 

Na delegacia de Leopoldina, também na Zona da Mata, para onde o suspeito foi levado, ele contou que foi até a festa de aniversário da sobrinha dele e, após encontrar a criança brincando em um dos quartos, confessou que esfregou o pênis nela. Ele também confirmou que teria se masturbado na frente da menina.

O suspeito foi encaminhado para um presídio e deve responder por estupro de vulnerável.

Triângulo Mineiro

Em Uberaba, o homem foi detido nesta terça-feira (30), suspeito de estuprar a filha, de 8 anos. Segundo a Polícia Militar, a criança passou o fim de semana na casa do pai e quando voltou para a casa da mãe teria reclamado de dores na região genital.

A menor contou que foi abusada pelo pai após voltarem de uma festa no domingo (28). Segundo relatos da vítima, o homem, de 30 anos, teria deitado ao lado dela e colocado o dedo em sua vagina. Ele também teria tentado forçar a menina a fazer sexo oral nele.

Ainda segundo a PM, o pai teria ameaçado a menina dizendo que se ela contasse para alguém não ganharia uma boneca de presente. 

A vítima foi submetida a exames médicos que constataram sinais de ruptura parcial do hímen. O suspeito negou o crime e disse que a mãe da criança teria inventado os abusos por desavenças financeiras. 

O homem foi ouvido pela Polícia Civil e liberado porque não foi pego em flagrante.