Os 60 anos de Nossa Senhora da Piedade como padroeira de Minas Gerais foram comemorados com uma missa solene, celebrada pelo arcebispo metropolitano de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, nesta sexta-feira (31), na Serra da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Este ano, com a pandemia do novo coronavírus, a festa foi marcada pela presença de poucos fiéis e com a adoção de medidas de segurança contra a Covid-19. 

A missa emocionou especialmente os poucos romeiros vicentinos presentes, representantes de tantos outros que não puderam estar no Santuário Basílica da Padroeira de Minas Gerais em razão da pandemia, cuja imagem esculpida por Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814), fica no altar da ermida do século 18, hoje a menor basílica do mundo. 

O local estava fechado há mais de quatro meses e foi reaberto para a celebração, que começou às 15h, com transmissão pelas redes sociais e meios de comunicação católicos.

Na homilia, dom Walmor convocou cada pessoa a ser mais solidária e consoladora. “O Espírito Santo é o Consolador. Ele habita cada pessoa. Em vez de embates, nos dediquemos mais a levar ao próximo uma palavra que promova a alegria de viver. Vamos fazer das nossas diferenças uma grande força de solidariedade e de consolação”, disse o arcebispo.

Dom Walmor Serra da Piedade