Os donos do galpão onde funcionava a fábrica e o Pátio Cervejeiro da Backer entraram com ação na Justiça pedindo uma ordem de despejo. De acordo com a peça, desde fevereiro a empresa mineira não paga os alugueis. O atraso e os juros já somam R$ 138 mil.

A área alvo da disputa judicial tem 4.500 metros quadrados e fica no bairro Olhos D'Água, região Oeste de Belo Horizonte. Por contrato, a Backer se comprometeu a alugar o espaço até 1º de outubro de 2021. No entanto, a cervejaria foi fechada no início deste ano após a substância tóxica dietilenoglicol ser encontrada em bebidas da marca. Várias pessoas morreram intoxicadas.

Quando deixou de pagar os aluguéis, a Backer enviou uma carta para os donos do terreno alegando que "se encontra em momento de extrema fragilidade financeira e patrimonial, não tendo condições de arcar com os valores ali indicados sem que isso comprometa ainda mais sua manutenção básica de funcionamento em um momento onde o faturamento é zero e a previsão de restabelecimento de receitas inexiste".

Backer
Fábrica da Backer no Olhos D'Água

No documento, a cervejaria listou uma série de melhorias que realizou no espaço, pediu para que "as benfeitorias funcionem como compensação" e solicitou o encerramento do contrato sem pagamento de multas. Na ação impetrada na Justiça, os proprietários argumentaram que a Backer não colocou na carta a data de encerramento do contrato e, por isso, entende que o contrato permanece vigente. "Por conseguinte, todos os ônus e encargos advindos da locação".

Os donos do galpão ainda pedem que a cervejaria entregue as chaves do espaço e faça reparos no local. Procurada pela reportagem, a Backer informou que ainda não foi intimada. "Tão logo isto ocorra, a empresa apresentará sua defesa e os recursos cabíveis", disse em nota.

Leia mais:
Backer interrompe pagamento de tratamento a vítimas alegando falta de recursos e comprovação médica
Ministério da Agricultura libera taques da Backer, mas cervejaria permanece interditada