Um foragido foi preso e um adolescente foi apreendido na tarde desta quinta-feira (15), no bairro Morro Alto, em Vespasiano, na Grande BH, ambos com suspeita de envolvimento no incêndio a um ônibus da linha 5610 (Morro Alto/Terminal Morro Alto), na noite dessa quarta-feira (14). O crime ocorreu pouco mais de 24h após um motorista de ônibus da mesma região ter recebido uma carta com ameaças de atentados a coletivo, caso algumas reivindicações de presos de uma penitenciária da Grande BH não fossem atendidas. 

De acordo com a Polícia Militar, o homem tinha mandado de prisão em aberto por furto e homicídio. Ele foi localizado na rua HH, altura do número 236, em Morro Alto. Segundo o major Bastos, da PM, as características do autor do incêndio batem com as do homem preso, o que leva a crer que seja a mesma pessoa. 

No entanto, as informações levantadas até o momento serão apuradas pelo serviço de inteligência da polícia para confirmação do fato. Além do homem preso, um adolescente foi apreendido por suspeita de envolvimento no mesmo crime.

A Polícia Militar também informou que o policiamento foi reforçado nas linhas de ônibus e no terminal Morro Alto, funcionando de forma constante, sem data para término.  

O caso 

Segundo a PM, indivíduos entraram no coletivo por volta das 17h45, quando ele parou em um ponto da avenida Coletora III. Os suspeitos ordenaram que todos descessem e, em seguida, espalharam combustível e acenderam as chamas. Ninguém ficou ferido. 

Segundo o tenente-coronel Gilmar Luciano, comandante do 36º Batalhão, que atende a região, disse que não há dúvida de que o atentado tem relação com a carta com ameaças do dia anterior. "Tem relação com esta carta que circulou. Desde ontem (terça-feira, 13) o sistema prisional foi acionado e já está trabalhando. Temos feito escolta aos coletivos, mas este ponto onde ocorreu fica bem na entrada de um beco do aglomerado. Tínhamos uma operação na hora, a cerca de 200 metros dali, mas infelizmente eles conseguiram fugir rapidamente", disse. 

Ainda conforme o comandante da área, os suspeitos entraram no ônibus infiltrados como passageiros e, pouco tempo depois, anunciaram o atentado. "Chegamos ao local muito rápido, mas ninguém foi preso. Agora vamos continuar com as operações, temos o apoio do Batalhão de Choque e da Rotam. Continuamos com a escolta dos ônibus que passam pelo bairro e, inclusive, uma das empresas já recolheu seus veículos", completou o tenente-coronel Gilmar. 

O fogo chegou a atingir a rede elétrica, deixando parte do bairro sem luz. A Cemig foi acionada, assim com a perícia da Polícia Civil (PC) e o Corpo de Bombeiros. Apesar do combate às chamas, o ônibus foi completamente destruído.

Carta com ameaças

Informações obtidas pelo advogado Fábio Piló, ex-presidente da Comissão de Assuntos Penitenciários da OAB/MG e estudioso do sistema prisional há 16 anos, dão conta que por volta das 11h de terça-feira (13) um motorista da empresa Saritur foi abordado por um motoqueiro no bairro Morro Alto. Portando uma arma de fogo, o suspeito teria entregado uma carta e determinou que a mesma fosse entregue na garagem da empresa. 

No texto, detentos da Penitenciária Professor Jason Soares Albergaria, em São Joaquim de Bicas, na Grande BH, reclamam do tratamento dos agentes penitenciários contra eles e seus familiares. "Se depois deste comunicado não for resolvido nossos problemas nessa penitenciária (...) vamos mandar queimar ônibus, carros das prefeituras, veículos públicos, veículos de oficiais e etc", diz um trecho da carta que o Hoje em Dia teve acesso. 

"Eles deram um prazo até as 17 horas de hoje para que suas reivindicações sejam atendidas", disse o advogado. A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) foi procurada, mas até o momento não se posicionou sobre as reivindicações dos detentos.

(Com José Vítor Camilo)

Leia mais:
Após carta com ameaças de presos, ônibus é incendiado por criminosos em Vespasiano