A Justiça mineira condenou a prisão dois homens que furtaram uma agência do Banco do Brasil em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. As penas somadas ultrapassam os sete anos de reclusão. Conforme o juiz Carlos Alexandre Romano Carvalho, da 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude, os réus não poderão recorrer em liberdade.

Um dos homens foi sentenciado a quatro anos de reclusão, inicialmente em regime fechado, além do pagamento de 50 dias-multa. O segundo réu foi condenado a três anos e sete meses de reclusão no regime inicialmente semiaberto e a 40 dias-multa. O crime aconteceu em julho de 2018.

Furto

Segundo o Ministério Público, os suspeitos entraram em uma agência no centro da cidade e retiraram do caixa eletrônico do Banco do Brasil a quantia de R$ 74.550. Os dois utilizaram um maçarico para abrir o aparelho e furtar o dinheiro. Conforme o Tribunal de Justiça de Minas (TJMG), a dupla confessou o crime e, por isso, teve um atenuante na pena. 

Ao julgar o caso, o juiz declarou que as consequências do crime “são nefastas, pois, como se não bastassem os prejuízos suportados pela instituição financeira, o tipo de ação praticada aumenta, em demasia, a sensação de insegurança da coletividade, bem como causa danos à comunidade, a qual tem prejudicados os serviços bancários que lhe são ofertados e que são indispensáveis nos dias atuais”.