O isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus fez com que as escolas fossem fechadas e os estudantes precisaram continuar as atividades através do formato do ensino a distância (EaD). Por isso, alguns participantes do Enem 2020 disseram que esta edição exigiu mais deles.

Candidatos que fizeram a prova em uma universidade da região Noroeste de Belo Horizonte disseram que o ensino remoto atrapalhou o aprendizado, o que certamente afetará no desempenho do exame. "Como as aulas foram em casa, não consegui focar e acabei não estudando direito", disse Nádia Teixeira, de 18 anos.

"O EaD não dá vontade de estudar. A gente fica com preguiça", completou Bianca Gomes, também de 18.

No caso da estudante de veterinária Laura Nunes, de 19 anos, a pandemia foi um fator desmotivador na hora dos estudos. "Fiquei desmotivada para focar, ficar mais atenta às questões que envolvem o Enem", avaliou.

Por outro lado, o amigo de Laura, Pedro Ávila, de 19, aproveitou o período em casa para meter a cara nos livros. "No início do pandemia fiquei muito preso em casa, então comecei a estudar", revelou.

O exame

Ao todo, cerca de 5,8 milhões de alunos estão inscritos para fazer a prova.

O Enem 2020 terá uma versão impressa e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Leia Mais:
Tema da redação segue linha adotada em edições anteriores do Enem
Fim do primeiro dia de Enem tem aglomeração na porta de faculdade em B
Ausência de questões sobre a pandemia do novo coronavírus surpreende participantes do Enem