Com o Brasil fora da decisão da Copa do Mundo, o mercado financeiro passou a apostar na Alemanha como a provável campeã neste domingo, na final contra a Argentina, a ser disputada no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Para fechar a série de levantamentos especiais, pesquisa finalizada nesta sexta-feira junto a 41 economistas e analistas mostra que nada menos do que 37 (90,25%) preveem que a taça ficará com os alemães, enquanto apenas quatro (9,75%) responderam que a Argentina será a vencedora. Caso se confirme a previsão do mercado, a Alemanha conquistará seu tetracampeonato, após levar os títulos de 1954, 1974 e 1990. Já Argentina, se vencer, será tricampeã, uma vez que venceu as Copas de 1978 e de 1986.

Nas duas pesquisas anteriores, realizadas pelo serviço especializado do Broadcast até antes da fase de quartas de final, o Brasil teve a maioria dos votos, enquanto a Alemanha ficou em segundo lugar em ambas as sondagens. Na primeira pesquisa, com 34 analistas, publicada no dia 9 de junho, o Brasil tinha 73,53%, enquanto a Alemanha tinha 11,76%, seguida pela Argentina, com 8,82%. Na pesquisa seguinte, divulgada no dia 3 de julho, 60% entre 55 analistas viam o Brasil campeão; 14,55%, a Alemanha; enquanto a Argentina tinha somente 3,63% das respostas.

Na fase semifinal, os alemães conseguiram a vaga para a decisão, ao venceram o Brasil por 7 a 1. Já a Argentina ganhou da Holanda na outra partida semifinal, nas cobranças de pênaltis, por 4 a 2, após empatar em 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Brasil e Holanda jogam neste sábado na decisão do terceiro lugar da competição.

Alexandre Póvoa, sócio-gestor da Canepa Asset Brasil, é um dos que preveem vitória da Alemanha no próximo domingo, ao destacar a superioridade técnica da seleção germânica. "Não é torcida e sim análise, o time alemão é melhor", disse.

Embora confiante na vitória da equipe comandada por Alejandro Sabella, o argentino Juan Jensen, economista da Tendências, que nasceu em Córdoba, afirma que a disputa será acirrada e admite que a Alemanha é favorita. Enquanto a equipe alemã é um time de "muita qualidade", o da Argentina está jogando na raça, com vontade de vencer e com muita disciplina, na opinião de Jensen.

"Vai ser difícil, mas isso pode levá-los à conquista", analisou. "A Argentina deve ter observado todos os erros que o Brasil cometeu e vai tratar de trabalhar suas limitações para surpreender e ficar com o título", disse o economista, que aposta na vitória de 1 a 0 da Argentina sobre a Alemanha.