Edital de concessão das BRs 381 e 262, entre Minas e Espírito Santo, prevê 11 praças de pedágio

Anderson Rocha
@rocha.anderson_
01/09/2021 às 15:16.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:48
 (Reprodução/ Google Street View)

(Reprodução/ Google Street View)

O edital de concessão das BRs 381 e 262, entre Minas Gerais e Espírito Santo, publicado (veja aqui) no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (1º), prevê a instalação de 11 praças de pedágios entre os dois territórios. Oito delas estarão em Minas e três no Estado vizinho. O leilão das rodovias vai acontecer em 25 de novembro. Haverá desconto de 5% na tarifa do pedágio para clientes que pagarem por meio eletrônico.

O trecho licitado se inicia na 381, em Belo Horizonte, com a 262, em Sabará, na Grande BH, e vai até o entroncamento com a BR-116, em Governador Valadares, no Leste. E no trecho da 262, do entroncamento da 381, de João Monlevade até Divisa; bem como no trecho da 262 de Divisa até o entroncamento da BR-101, em Viana, no Espírito Santo. Os pontos de cobrança estarão nas seguintes cidades:

  • BR-381/MG: cinco praças de pedágio localizadas em Caeté (Grande BH), João Monlevade (Central), Jaguaraçu (Vale do Rio Doce), Belo Oriente (Vale do Rio Doce) e Governador Valadares (Vale do Rio Doce);
  • BR-262/MG: três praças de pedágio localizadas em São Domingos do Prata (Central), Matipó (Zona da Mata) e Reduto (Zona da Mata);
  • BR-262/ES: três praças de pedágio localizadas em Itatiba/ES, Venda dos Imigrantes/ES e Viana/ES.

De acordo com a Agência Nacional Transportes Terrestres (ANTT), o valor da tarifa de pedágio deverá observar o patamar máximo de R$ 0,12477/km, para trechos homogêneos de pista simples, e de R$ 0,17468/km para trechos homogêneos de pista dupla, na data-base de abril de 2019. A atual malha em processo de concessão abrange 686,10 km de extensão (que passará para 670,64 km após as obras de retificação de traçado).

A reportagem procurou a ANTT para entender qual poderá ser o valor máximo da cobrança, com base nesses dados, e aguarda retorno.

Investimentos e melhorias

O investimento previsto é de R$ 7,37 bilhões. O leilão terá como critério de definição a empresa que oferecer a menor tarifa de cobrança nos pedágios. A expectativa é que as obras gerem 109.777 empregos, diretos e indiretos.Reprodução/ ANTT

Leilão escolherá empresa que oferecer menor tarifa de pedágio

Melhorias

Entre as melhorias previstas pelo Programa de Exploração da Rodovia (PER), estão obras no contorno de Manhuaçu, com 9,74 km de extensão; 402 km de obras de duplicação; 228 km de faixas adicionais; 131 km de vias marginais; 247 melhorias de acessos; 125 correções de traçado; 115 obras de estabilização de taludes; 40 passarelas; 288 paradas de ônibus; três túneis, entre outros.

Além disso, está previsto o atendimento ao usuário da via com Centro de Controle de Operações (CCO) e Bases do Serviço Operacional (BSO) para apoio das equipes de atendimento médico de emergência, atendimento mecânico e atendimento aos demais incidentes na via.

Outra previsão é o desconto de 5% no valor da tarifa para usuários que pagarem com dispositivos de pagamento eletrônico. O assunto ainda não foi detalhado pela ANTT.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por