A exposição "Trabalho & Cidadania", em cartaz no Centro de Memória do TRT, recebeu a visita de alunas da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. A visita faz parte do roteiro elaborado pelas alunas Rayhanna Fernandes e Clara Kamphorst, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). As estudantes em visita ao país são integrantes do Human Trafficking Clinic, programa que combate o tráfico de pessoas e o trabalho escravo.
 
Em Belo Horizonte, o Human Trafficking Clinicinspirou o projeto de extensão "Clínica de Trabalho Escravo" e "Tráfico de Pessoas", da UFMG. Ambos os programas atuam na luta contra o trabalho análogo à escravidão e o tráfico de pessoas. À frente do projeto, pela UFMG, está o juiz federal e professor da Faculdade de Direito, Carlos Henrique Borlindo Haddad. 
 
Durante a visita, o grupo discutiu temas como a criação da Justiça do Trabalho no Brasil, focando o deabte no trabalho escravo, o processo abolicionista e as condições de trabalho empreendidas nos diversos contextos históricos abordados na Exposição. Segundo a estudante de Direito Rayhanna Fernandes, um dos motivos de ter procurado o TRT3 foi a possibilidade de contextualizar e visualizar essa parte histórica.
 
*Com informações do Tribunal Regional do Trabalho.