Um dia após a divulgação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mostrou que o nível dos alunos do terceiro ano do ensino médio das redes pública e privada de Minas atingiu o pior desempenho em dez anos, a Secretaria de Estado de Educação fez uma análise dos dados. De acordo com a secretária Macaé Evaristo, o resultado ruim está relacionado a alguns fatores, entre eles o nível de reprovação dos estudantes.

Em 2015, foi feita uma alteração na forma de contabilizar esse nível, que impactou diretamente nos resultados. “Até o ano passado, a taxa de reprovação do ano vigente entrava apenas no ano seguinte. Ou seja, os alunos reprovados em 2011 não eram registrados no Ideb de 2011, o que gerava uma distorção positiva no resultado. Em 2015, por um pedido das escolas, o Ideb passou a contablizar as reprovações do ano vigente”, explica a secretária.

Leia mais:

Ensino médio em Minas Gerais tem o pior desempenho no Ideb desde 2005
Com Ideb estagnado há 4 anos, ministro diz que situação é vergonhoso

Desta forma, na contagem para o Ideb de 2015 referente às escolas públicas de Minas, levou-se em conta não apenas as reprovações do ano passado, como também as de 2014, que foram empurradas para frente, como era prática anteriormente.

Apesar do resultado negativo, principalmente no último ano do ensino médio, o governo já projeta uma melhora para o Ideb de 2017. “Teremos um programa de elevação de escolaridade para o ensino médio para que os jovens possam optar por uma trajetória diferenciada, quando necessário. Para aqueles que não têm proficiência sufuciente, vamos investir no reforço escolar, garantindo que os alunos tenham mais tempo e acompanhamento”, afirmou Macaé.

A rede estadual pública tem hoje 3.655 escolas e 2,086 milhões de alunos, como mostrou dados do Censo Escolar 2015. O número de professores que atuam nas instituições estaduais ultrapassa os 180 mil.

De acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério da Educação, escolas das redes pública e privada de Minas tiveram a pontuação mais baixa para o último ano do ensino médio desde o início do Ideb, em 2005. O resultado alcançado no último ano foi de 3,7 e está um ponto abaixo da meta de 4,7 estabelecida para o período.