Quadra de esportes, ginásio poliesportivo, academia para dança, música, artes marciais, salas multiuso, bibliotecas, parquinhos, banheiros e novas salas de aula estão sendo incluídos em 60 escolas municipais de Belo Horizonte, que serão responsáveis por receber as cinco mil novas crianças atendidas pela rede de escolas integrais a partir de 2020. O número foi divulgado nesta quarta-feira (13) pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), mesmo dia em que foram abertas as inscrições para pais interessados nas vagas (confira abaixo os detalhes de como se inscrever).

Segundo a secretaria, as obras já começaram e a previsão é de que sejam concluídas em fevereiro de 2020. As novas vagas são destinadas a crianças de 4 a 5 anos. O investimento para a ampliação do serviço foi de R$ 4 milhões e as melhorias seguem o parâmetro da Escola Municipal Francisco Bressane, referência em estrutura para a modalidade.

A secretária de Educação, Ângela Dalben, afirmou que, com a oferta de novas vagas, serão cerca de 90 mil estudantes matriculados na modalidade integral na cidade. Hoje são atendidas 84 mil pela rede própria e parceira, um total de 41% do universo de estudantes matriculados na Rede Municipal de Educação. As inscrições iniciadas hoje, segundo apontou a Smed, vão medir a demanda pelo serviço entre os belo-horizontinos e, se necessário, o número de vagas será ampliado.

Escola integral

O modelo de escola integral em BH propõe uma vivência multidisciplinar para os alunos, com projetos de inclusão social e oficinas de qualificação profissional. O método inclui a ampliação da jornada escolar e a integração de espaços por meio de programas e projetos voltados para as diversas áreas do conhecimento, além de temáticas como segurança do trânsito, ações ambientais e de sustentabilidade, música, fotografia, dança, cultura, leitura, mídias e orientação profissional, línguas estrangeiras, e artes marciais. O projeto ainda prevê o fornecimento de três refeições diárias, uniforme e transporte para deficientes ou estudantes com mobilidade reduzida.

Atualmente, o número de crianças atendidas pela Escola Integral contempla 41% dos matriculados na rede municipal de Educação. A ampliação do número de vagas vai ao encontro do Plano Municipal de Educação de 2016, que traz a escola em tempo integral como meta importante para a rede, na qual o objetivo é oferecer a modalidade em, no mínimo, 50% das escolas públicas para atender, pelo menos, 25% dos estudantes da educação básica.

Contratações

Questionada, a secretaria ainda não informou se haverá contratação de profissionais para atender o número maior de alunos. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Belo Horizonte (Sind-Rede), em nota, questionou a abertura de novas vagas, já que a Smed afirma que não há recursos na educação ao mesmo tempo que anuncia a ampliação da oferta para alunos. Outro ponto questionado pelo sindicato é a abertura de inscrições de crianças de 4 a 5 anos pelo Programa Escola Integrada (PEI), segundo eles, muito precarizado.

Em greve, a categoria informou esperar que a secretária "sente para o diálogo, com quem conhece a realidade das escolas e não crie mais problemas para as escolas públicas municipais de Belo Horizonte e para toda população. Os filhos da classe trabalhadora merecem educação de qualidade com profissionais respeitados e valorizados".

A reportagem questionou a Smed sobre o anúncio da medida durante o período de greve, mas a pasta informou que a adesão ao movimento é de cerca de 2%.

Inscrições

O cadastro de pais e responsáveis interessados em matricular as crianças em escolas integrais vai até dia 29 de novembro e deve ser feito pelo site da PBH. Cidadãos sem acesso à internet podem usar um dos computadores da prefeitura disponibilizados para esse fim.

Poderão ser inscritos alunos já matriculados na Educação Infantil ou no Ensino Fundamental Regular municipais que nunca foram alunos em escolas da modalidade. 

As vagas são destinadas a crianças nascidas até 31 de dezembro de 2016 já matriculadas na rede, mesmo que o primeiro ano seja 2020. Os grupos etários serão organizados de acordo com as faixas etárias a seguir:

Grupo 1: estudantes entre 4 e 6 anos;
Grupo 2: estudantes entre 7 e 9 anos;
Grupo 3: estudantes entre 10 e 12 anos;
Grupo 4: estudantes entre 13 e 14 anos e estudantes maiores de 14 anos, desde que estejam matriculados no Ensino Fundamental Regular da RME/BH.

Os responsáveis precisam informar onde o aluno está matriculado no próximo ano. O resultado será divulgado no dia 15 de janeiro de 2020.