A Prefeitura de Belo Horizonte garantiu o repasse de R$ 17,5 milhões que deverão ser aplicados na Educação, especificamente na mobilidade e em equipamentos tecnológicos. Os recursos são provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e, segundo a secretária Municipal de Educação, Ângela Dalben, deverão estar disponíveis "entre três e quatro meses".

De acordo com a PBH, a verba será utilizada para comprar 35 ônibus escolares com total acessibilidade, adquirir equipamentos de informática e construir dez quadras cobertas. Também há previsão de recursos para a compra de instrumentos musicais, que deverão estimular as bandas escolares. 

Como a determinação constitucional da rede municipal de ensino é a educação infantil, as Unidades Municipais de Ensino Infantil (Umeis) e creches serão priorizadas. Segundo a secretaria Ângela Dalben, os veículos deverão ser usados tanto quanto no trajeto escolar, quanto em excursões. "Passear e visitar lugares educativos faz parte do conhecimento", definiu.

O convênio foi assinado na tarde desta quinta-feira (22) na sede da PBH e trouxe, de Brasília, o ministro da Educação, Mendonça Filho, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Ambos são do partido Democratas (DEM). 

Enquanto o ministro Mendonça Filho anunciou que o governo está retomando obras na infraestrutura básica das escolas, que estavam paralisadas há pelo menos dois anos, o deputado Rodrigo Maia ressaltou a importância dos investimentos em Educação. "Precisamos reduzir os índices de evasão escolar. Só assim teremos menos jovens entregues ao crime por falta de opção", informou.