Servidores da educação estadual protestaram na manhã desta terça-feira (19) na região central de Belo Horizonte contra o parcelamento de salários. A manifestação começou em frente ao Palácio da Liberdade, no bairro Funcionários, e seguiu até a Praça 7, no Centro, sob o lema "Sem salário, sem trabalho".

A principal reclamação da categoria, de acordo com o Sind-UTE/MG, é o parcelamento dos salários dos servidores da educação mesmo quando o vencimento não é superior a R$ 3 mil. Para o restante do funcionalismo, os salários só são recebidos em mais de uma parcela nos casos de pagamentos acima desses R$ 3 mil.

Os servidores estão em greve desde o dia 11 de junho em todo o Estado.

Procurada, a Secretaria de Estado da Fazenda respondeu que a situação foi causada pela insuficiência de verba no caixa. Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado de Fazenda informa que, em função de fluxo insuficiente de caixa neste mês, os servidores inativos do Executivo Estadual que ainda não haviam recebido seus salários em junho tiveram uma parcela de R$ 500 depositada em conta nesta terça-feira (19/6).

Os depósitos restantes dos servidores inativos do Executivo Estadual serão feitos à medida que o referido fluxo for normalizado.