O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), voltou a falar, nesta sexta-feira (16), sobre a disputa eleitoral para o governo de Minas em 2022. Apesar de dizer que considera estar muito cedo, o chefe do executivo municipal declarou que o atual cargo apresentaria condições para a candidatura.  

“Qualquer prefeito de BH é candidato ao governo. Eu me dei o direito, de quando candidato a prefeito eleito no primeiro turno, falar que não tinha o menor compromisso de ficar ou sair. Eu acho que está muito cedo, e eu não tenho obrigação. Eu tenho gente do PSDB na minha prefeitura, do PT, do PSD, tenho gente de todo partido, porque eu só tenho técnicos, e tem técnicos que adoram se filiar a partidos sem precisar”, disse, em entrevista à GloboNews.

Sobre possíveis alianças para a presidência da República, Kalil afirmou que “não tem compromisso com ninguém”.

“Eu fui candidato e o (ex-presidente) Lula, aqui na televisão, pediu voto contra mim. E outra coisa, numa negociação nacional, o presidente (do PSD) Kassab tem que estar presente”, avaliou.

O prefeito ainda levantou incertezas quanto à próxima eleição. “Mas tem que ver como vai ficar, vai ter eleição? Não é porque o presidente falou não, a pandemia vai passar? Nós vamos continuar matando 1.500 pessoas por dia e vamos fazer eleição, só pensar em eleição?”.

Leia mais:
‘Se tivessem batido na minha porta, população estava imunizada’, diz Kalil sobre vacina da Pfizer
Covid-19 já matou 122 crianças e adolescentes em Minas
PBH tem dez dias para responder recomendação para priorizar educação na flexibilização