Quatro pessoas foram presas pela Polícia Federal, na capital mineira, nesta quarta-feira (5), em operação que investiga a liberação ilegal de informações sigilosas da própria instituição. Servidores da PF teriam revelado detalhes de ações da corporação para advogados.

Ainda na operação, intitulada "Escobar", foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em escritórios de advocacia localizados em BH e intimados possíveis envolvidos para esclarecimentos.

De acordo com a PF, a apreensão de documentos sigilosos relacionados à operação "Capitu" na casa de investigados, em novembro do ano passado, deu início à atual ação. Os agentes concluíram que os servidores foram cooptados pelos advogados a fornecer informações de forma ilegal. Tais dados dariam vantagens aos clientes deles.

Conforme nota da instituição, "a repressão contra atos de servidores do órgão policial é essencial para a manutenção da lisura e do compromisso que a Polícia Federal tem de servir à sociedade brasileira".