Com a chegada das férias escolares, cresce o número de adeptos da tradicional brincadeira de soltar pipa, mas também aumenta a quantidade de problemas causados pelo uso do cerol, material cortante colocado nas linhas. A Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB-BH) promove neste mês nas portarias do Parque Ecológico da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 6.061 e 7.111) uma campanha de combate ao cerol. 

Por meio de uma exposição fotográfica, o Serviço de Educação Ambiental da FZB-BH tem o objetivo de conscientizar o público sobre os perigos causados pela utilização de materiais cortantes, que, em contato com a pele, podem provocar ferimentos profundos e muitas vezes letais, principalmente quando a região do pescoço é atingida.

De acordo com o biólogo e gerente do Serviço de Educação Ambiental da FZB-BH, Humberto Mello, como a brincadeira é estimulada a ser praticada na extensa área verde da esplanada do parque por grupos de amigos e em família, foi constatado o aumento do uso desse material, que é proibido por lei. “Decidimos realizar uma mostra que sensibilize as pessoas para o respeito à vida, não só dos visitantes, mas das aves que sobrevoam essa região”, comentou.

Proibição

Segundo a lei estadual 14.349/02, o uso de cerol ou de qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas, papagaios, pandorgas e semelhantes artefatos lúdicos é proibido e os responsáveis por menores que se envolverem em acidentes relacionados com o uso dessas substâncias são responsabilizados. 

Dicas do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais para evitar acidentes:

- Não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos.

- Evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos. Procure locais abertos como praças e parques.

- Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola.

- Não empine pipa em cima de lajes e telhados.

Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol (mistura de cola com caco de vidro). Também não faça pipas com papel laminado. O risco de choque elétrico é grande.

- Cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Pode ter algum buraco ou pista.

- Atenção especial com os motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles. Fique atento para que a linha não entre na frente deles.

- Se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. Nunca use canos, vergalhões ou bambus. Ao correr atrás das pipas, muito cuidado com o trânsito.