Pelo segundo dia consecutivo, uma névoa cinza toma conta do céu de Belo Horizonte, causando desconforto na população por causa da secura e da partículas poluentes em maior número na atmosfera. E, para piorar, na tarde desta quinta-feira (19), um incêndio em vegetação ameaça casas no bairro Jardim Felicidade, na região Norte da Capital. E outro é registrado nas proximidades do bairro Belvedere, na região Sul. Segundo testemunhas, um morador de rua foi surpreendido colocando fogo na vegetação. Uma viatura da Polícia Militar foi acionada juntamente com o Corpo de Bombeiros. 

No início da tarde, os bombeiros tinham recebido 19 solicitações para atendimento de incêndio florestal, sendo que a corporação estava atuando em seis focos e a estava a caminho de outros sete. "Na medida em que as viaturas vão sendo liberadas de onde estão atendendo, são empenhadas em outras que estão aguardando. Este quadro muda a todo momento", informou os militares.

Nessa quarta-feira, o cheiro de 'queimado' e a fuligem surpreenderam moradores de diversas regiões de Belo Horizonte. Segundo Dayan Carvalho, diretor de Meteorologia e Alerta de Risco da Defesa Civil municipal, o fenômeno foi causado por um conjunto de fatores ruins: os incêndios aumentaram a fuligem na atmosfera já carregada com poluentes urbanos. Essas partículas foram barradas pela massa de ar quente e seco, se dissipando em toda cidade. 

"Com atmosfera 'parada' há cerca de uma semana, massa de ar quente e seco, grandes incêndios na capital e arredores, ausência de ventos fortes e, por fim, poluentes urbanos estacionados na baixa atmosfera, o resultado é o que muitos viram e sentiram na última noite", disse o meteorologista.

Pode chover no domingo

A previsão meteorológica é de alerta, mantido até esta sexta-feira (20). A melhora no clima deve chegar em quatro dias. "Há expectativa que esse padrão atmosférico se altere no domingo (22), com indicativo de chuvas fracas e isoladas. A primavera se inicia no dia 23 e é muito provável que tenhamos chuva já no início dessa estação", explicou Dayan.

Nesta quinta-feira, a Defesa Civil de BH registrou a maior temperatura às 12h50, 35,2°C. A umidade do ar atingiu índices de 14%, às 13h30. O recomendado pela Organização Mundial de Saúde é acima de 60%.

Leia mais:
Número de focos de queimadas em Minas aumenta 205% em uma semana
Tempo seco, esfumaçado e quente leva crianças a atendimento médico em BH
Médico ensina a aliviar desconforto com fumaça em BH