Um homem de 27 anos acabou morto pela Polícia Militar (PM), na tarde de domingo (9), após sofrer um surto psicótico e atacar o próprio tio e policiais usando uma faca, em Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O jovem fazia uso de medicamentos psiquiátricos e teria ingerido bebida alcoólica juntamente com os remédios antes do surto. 

Toda a confusão aconteceu na casa da família, localizada na rua Florianópolis, no bairro Bom Jesus. Quando os militares chegaram ao local, o tio relatou que o sobrinho chegou bastante alterado, possivelmente com transtorno psicótico, e foi até a gaveta da cozinha para pegar uma faca, dizendo que iria matar alguém. 

Diante da situação, o tio teria tentado impedir entrando na frente do parente, porém, o sobrinho acabou se desvencilhando dele e conseguiu se apoderar de duas facas, partindo para cima do tio e dando golpes em sua cabeça. 

Os policiais passaram então a tentar dialogar com o jovem, que ainda portava uma faca em suas mãos. Após pedirem que ele largasse a faca, o suspeito teria partido para cima de um dos militares, dando um golpe que atingiu o rádio localizado no ombro do agente. Em seguida, o outro policial usou uma espingarda com bala de borracha, porém, o homem em surto continuou partindo para cima deles. Diante da situação, cada um dos militares efetuou um disparo com a arma de carga da PM, sendo que um deles acertou o tórax do homem. 

Após ser baleado, ele foi imediatamente socorrido por uma outra viatura da polícia para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Matozinhos, onde acabou falecendo. Além dele, um dos militares que sofreu cortes nos dedos e o tio do homem morto também receberam atendimento médico no local. 

As armas usadas pelos militares na ação foram recolhidas e a faca usada pelo suspeito apreendida. A perícia da Polícia Civil (PC) esteve no local e fez os levantamentos iniciais. O caso foi encerrado na Delegacia de Plantão de Sete Lagoas. 

Testemunhas confirmam versão dos policiais, diz PM

Uma vizinha relatou que ouviu o alvoroço e foi até a casa ao lado para saber o que acontecia, levando seu filho recém-nascido no colo. Lá ela teria visto o homem em surto com uma faca na mão e que, após ela tentar impedi-lo de atacar a própria família, o suspeito teria partido para cima dela e a criança. Os moradores gritaram então com o jovem, que acabou desviando e deixando que a mulher fugisse. 

As testemunhas presentes, entre elas o tio do homem morto, confirmaram a versão dos policiais, ainda de acordo com o registro da PM, contando inclusive que o homem gritava "vem para cima" com os policiais. 

Leia mais:
Preso em saída temporária ataca mãe e irmão com pedaço de pau em Betim
Filho se corta enquanto cozinhava, surta e atropela a própria mãe no Triângulo Mineiro
Exclusão dos grupos de WhatsApp da igreja teria sido o gatilho para massacre em Paracatu