Pelo menos 55 bicicletas do programa Bike BH foram destruídas em apenas três dias na região da Pampulha, em Belo Horizonte. O levantamento da empresa Serttel, responsável pela gestão da iniciativa na capital mineira, compreende o período da última sexta-feira até domingo.

O vandalismo foi verificado nas estações Mirante do Sabiá, Zoológico, Parque Ecológico da Pampulha, Marco Zero, Mirante Bem-te-vi e Pampulha. Foram encontradas unidades com peças furtadas e várias partes danificadas. O prejuízo, conforme a Serttel, pode passar dos R$ 70 mil.

Segundo a PM, um único boletim de ocorrência foi registrado na madrugada de ontem. Como os agentes não precisaram ir ao local porque as bicicletas já tinham sido recolhidas, o caso foi encaminhado para investigação pela Polícia Civil. A Guarda Municipal disse não ter sido acionada nem tem conhecimento da depredação. Nenhum suspeito foi detido até o fechamento desta edição.

A gestora do programa em BH informou que todas as bikes destruídas serão repostas em até 30 dias. A Serttel disse, ainda, que “irá estudar a implantação de um sistema de monitoramento de segurança eletrônica para inibir os atos de vandalismo, nas estações da região da Pampulha, que são bastante procuradas pela população, principalmente, no fim de semana”.

Repercussão

O vandalismo na Pampulha foi denunciado no perfil da Associação dos Ciclistas Urbanos de Belo Horizonte (BH em Ciclo), na rede social Facebook. O grupo postou fotos de várias bikes destruídas e lamentou o crime. 

Hoje, cerca de 400 bicicletas estão disponíveis nas 40 estações do programa, instaladas em toda a metrópole. A manutenção, de acordo com a empresa responsável, é feita diariamente.