O caminhoneiro Leonardo Faria Hilário está sendo julgado pelo II Tribunal do Júri de Belo Horizonte nesta quinta-feira (23) pela morte de cinco pessoas em um acidente que deixou ainda 12 feridos em janeiro de 2011. esse é o primeiro caso de crime de homicídio no trânsito julgado pelo júri de BH. Neste momento acontece o debate entre promotoria e a defesa.

Na parte da manhã foram ouvidas duas testemunhas de acusação e uma de defesa e as outras 12 foram dispensadas. Depois, Leonardo foi interrogado por acusação e defesa e teve a chance de explicar aos jurados sua versão dos fatos.

Segundo a assessoria de imprensa do Fórum Lafayette, ele estava muito emocionado e teria relatado que uma pane nos freios seria a causa do acidente. Ele não soube explicar em que altura do Anel teria perdido os freios e afirmou que tentou tombar o veículo e desviar dos carros para evitar um acidente mais grave, mas acabou não conseguindo.

Segundo contou ao responder os questionamentos de ambas as partes ele relatou que teria comunicado à empresa a necessidade da troca de um dos pneus do caminhão, mas teria sido informado que apenas ao chegar em outro estado a ordem de serviço seria expedida. Além disso, afirmou não conhecer o Anel rodoviário de Belo Horizonte.

Ele ainda ressaltou que se sente vítima e lamentou muito pelas famílias, dizendo que não fica sem pensar no ocorrido nenhum dia.

Cada uma das partes, defesa e acusação, tem 1h30 para falar e ainda estão previstas réplica e tréplica antes que os jurados possam votar e decidir pela condenação ou não do motorista. A previsão é que o julgamento siga ao menos até o início da noite.