Atualmente há mais de 50 mil vagas abertas para concursos públicos em todo o País. E as notícias melhoram ainda mais esse quadro. Na última terça-feira foi publicada no Diário Oficial da União, a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2014, que, em relação a concursos, define a oferta de 58.205 vagas neste ano, sendo 47.112 no Executivo e 11.093 para Legislativo, Judiciário e Ministério Público da União.

De acordo com informações divulgadas em nota pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a maior parte das vagas devem ser direcionadas para o atendimento de áreas prioritárias no país e funcionamento da administração pública. As áreas que englobam esse aspecto são segurança pública, infraestrutura, saúde, educação, formulação de políticas públicas e gestão governamental.

Tantas oportunidades atraem os olhares de muitos candidatos sonhadores com um emprego que lhes dê estabilidade financeira, dentre outros benefícios típicos de vagas do setor público. Mas para ser aprovado em uma prova de concurso, é necessário estudar com muito empenho e disciplina.

Para o coordenador do Mega Concursos, Marcelo Cury, a primeira recomendação para quem vai pleitear a uma vaga é escolher o cargo no qual ele se identifique com as atribuições, e não apenas definir pelo salário. “A pessoa deve observar se tem vocação para aquela vaga”, afirma. Depois disso, o candidato deve se organizar para criar uma rotina de estudos. “Mantendo o foco ele vai tirar de quatro a seis horas todos os dias para estudar, por pelo menos 3 a 4 meses. Isso pra um concurso de dificuldade média. Se for um muito concorrido, tem que aumentar o tempo de estudo”, diz.

Em alguns casos é interessante também iniciar um cursinho preparatório, que pode ajudar o candidato a ter mais foco, pois neste caso ele, obrigatoriamente, terá um tempo separado para os estudos. O professor e coordenador pedagógico do curso Pro Labore, Carlos Cruz, vai mais além e afirma que, caso o candidato trabalhe, uma sugestão é abrir mão temporariamente do emprego para se dedicar integralmente à preparação do concurso. “Para passar em um concurso tem que se dedicar”, salienta.

Em ambas as instituições há cursos específicos voltados para determinados concursos, onde o aluno pode acompanhar o conteúdo do edital. É possível ainda fazer matérias isoladas, comuns a quase todas as provas, como português, por exemplo.
 
Estabilidade financeira e salários maiores atraem os candidatos
 
Na opinião de Carlos Cruz, do Pro Labore, o principal motivo pelo qual as pessoas procuram ser aprovadas em concursos é a estabilidade financeira, uma vez que, em geral, o setor público oferece melhores salários em comparação com a iniciativa privada. “Elas também querem ter a segurança de que não serão dispensadas após o estágio probatório (período de experiência), querem aposentadorias futuras em melhores condições”, afirma.

E estabilidade é justamente o que a estudante de Direito Débora do Carmo Martins Guedes, 21 anos, pretende ao prestar concurso para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para nível médio. O edital ainda não foi publicado, mas ela já iniciou a rotina de estudos em outubro do ano passado. “Fiz cursinho preparatório e agora estou estudando em casa. Quando o edital for divulgado, vou voltar para o curso e fazer aulas de exercícios para relembrar do que venho estudado”, diz.

Sobre a antecedência no início dos estudos, ela é firme: “Estou me preparando com antecedência porque se a pessoa não se dedicar mesmo, ela não consegue. Como você tem que praticamente fechar a prova para se classificar, deve estar muito preparado. Estou bem focada e o meu objetivo é passar”, comenta.
 
Concurseiros

O advogado Rodrigo Soares Cardoso, 38, também vai prestar o mesmo concurso, mas para nível superior. Concurseiro (termo usado para aqueles que têm o costume de estudar e tentar várias provas de concurso), ele conta que devido à questões pessoais perdeu um pouco do hábito. No entanto, é isso que ele quer retornar atualmente. Cardoso fez alguns meses de cursinho e agora estuda em casa. O objetivo do advogado também é segurança financeira “Quero estabilidade em um emprego com um bom salário”, afirma.