Foi encontrado, na madrugada desta segunda-feira (14), o corpo da mineira Marliana Dias Ferreira, que estava desaparecida desde o sábado (12), quando um barco naufragou durante a procissão do Círio Fluvial pelo Rio Amazonas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Macapá, a tragédia com o barco Capitão Reis I, ocorrida no Amapá, deixou 14 mortos. Pelo menos cinco pessoas continuam desaparecidas.

Marliana Dias Ferreira, de 35 anos, estava com a mãe, Marli Lourenço Dias, de 67 anos, e o filho Ranier Benjamim, que morreram na tragédia. Ela morava no estado há cerca de 15 anos, mas era natural de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O marido da vítima, Samuel Benjamim Pinheiro, e outra filha, Mariana, conseguiram sobreviver.
 

Encontrado corpo de mineira morta em naufrágio no Amapá

Nas redes sociais, amigos comentaram a morte de Marliana (Imagem: facebook/Reprodução)

Há uma discordância nas informações sobre o nome da vítima. O Corpo de Bombeiros do estado divulgou como "Marliene", porém, os amigos de Marliana revelaram nas redes sociais que a pessoa encontrada seria ela.

De acordo com o tenente Manoel Santos, só após a conclusão dos trabalhos será possível determinar o total de vítimas e detalhes mais precisos sobre o caso.

"Há algumas informações conflitantes, por isso, estamos nos reunindo para definir o número e os detalhes sobre cada vítima", informou por telefone ao Portal Hoje em Dia.

No perfil da mulher no Facebook, pessoas próximas lamentaram a morte. Em uma das postagens, uma amiga identificada como Luciene Pereira, demonstra o sentimento pela perda. "É com grande tristeza que recebi a notícia... Estamos todos de luto e com o coração apertado".

Outra amigo de Marliana, com nome de Maycon Gomes, também comentou o fato. "Sei que agora você é mais uma estrela brilhando no céu. Eterna saudades", diz em uma publicação na qual a vítima foi marcada.

Buscas

Cerca de 11 militares do Corpo de Bombeiros, dentre eles alguns mergulhadores, trabalham na área para tentar localizar os outros desaparecidos.

Encontrado corpo de mineira morta em naufrágio no AmapáAo longo da noite e começo da manhã desta segunda, outros três corpos, sendo dois da mesma família, foram encontrados.

Elizeu da Silva Santiago e a filha, Eloane Ferreira Santiago, de apenas 3 anos, estavam na mesma região do desastre, segundo os Bombeiros. O terceiro morto localizado não foi identificado.


A tragédia*

O barco, que foi alugado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Amapá, fazia o caminho de retorno ao município de Santana quando virou. Ao menos 50 embarcações participavam da procissão fluvial. Parte delas ajudou no resgate dos sobreviventes.

Segundo a Capitania dos Portos, a embarcação suportava 40 passageiros. O órgão informou que, conforme vistoria realizada, o barco deixou o município de Santana com 40 passageiros e três tripulantes, mas não houve uma nova contagem em Macapá. Há suspeitas de superlotação, o que ainda será investigado.  (*Com Folhapress)