Apenas duas ocorrências relacionadas à aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram registradas neste domingo (4), em Belo Horizonte e Região Metropolitana, segundo a Polícia Militar (PM). Em ambas, participantes foram impedidas de fazer as provas por conta dos documentos de identidades apresentados.

Em Contagem, uma mulher de 27 anos teve sua participação negada quando apresentou a identidade. Os aplicadores teriam dito que ela não poderia fazer o exame pois o documento não estava plastificado e tinha origem suspeita.

Segundo a ocorrência, a participante explicou que sua identidade era da Bahia e, por isso, tinha características diferentes. O coordenador teria confirmado o erro e oferecido à participante que voltasse à sala para fazer o exame, sem prejuízo de horário, mas ela disse que não tinha mais condições psicológicas em função da situação vexatória.

Em Belo Horizonte, uma garota de 16 anos foi impedida de fazer a prova por estar com uma cópia autenticada do documento de identidade, que não poderia ser aceita. Na ocorrência, ela alega que passou pelo primeiro local de checagem e foi liberada sem problemas.

No entanto, já na sala, quando o responsável pela entrega do cartão de provas viu o documento, disse que ela não poderia fazer a prova. A garota, que teve que se retirar do local, disse ainda que não teve acesso a seu telefone celular enquanto os responsáveis analisavam a situação.