A entrega da Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, foi suspensa em razão das restrições sanitárias impostas pela pandemia do novo coronavírus. A cerimônia é realizada tradicionalmente em 21 de abril, nesta terça-feira, Dia da Inconfidência Mineira, movimento de independência que teve como epicentro a cidade de Ouro Preto, no século XVIII, e para onde é transferida nesta data, simbolicamente, a capital do Estado.

A 68ª edição foi adiada por tempo indeterminado até que seja definido um formato seguro para homenagear os indicados. A medida foi tomada na última sexta-feira (17), em videoconferência coordenada pelo deputado Agostinho Patrus (PV), que também preside o Conselho da Medalha, e os demais membros, entre eles o secretário de Estado de Governo, Igor Mascarenhas, que deu um prazo de mais 30 dias para que sejam indicados os agraciados.

Em nota, o governo de Minas informou que nesta terça-feira (21) haverá apenas um ato simbólico, sem autoridades, nem público e nem agraciados. "Conforme decreto estadual, eventos e aglomerações estão proibidos", diz o comunicado.

Já a prefeitura de Ouro Preto preferiu não dar detalhes de como será marcada a data na cidade para evitar que moradores se aglomerem para assistir.

Todos os anos, a medalha, que é a maior honraria de Mins, é dada a pessoas que se destacaram pela relevância de serviços prestados à sociedade mineira e a cerimônia é realizada na cidade onde a cabeça de Tiradentes foi exposta após sua morte.

Criada em 1952 pelo governador Juscelino Kubitschek, a Medalha da Inconfidência tem quatro graus: Grande Colar, Grande Medalha, Medalha de Honra e Medalha da Inconfidência.