Os trabalhos começaram há um mês e a previsão era a de que o primeiro parklet de Belo Horizonte fosse entregue à população neste sábado (20). No entanto, a construção do espaço de convivência na rua dos Goitacazes, entre as ruas Rio de Janeiro e Espírito Santo, no Centro da cidade, está longe de ser concluída.


“Ainda faltam as floreiras, luminárias e bicicletário, além da instalação do wi-fi”, reconhece o vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH), Marcos Innecco. “Até o fim do mês vamos entregar o parklet à população. Provavelmente, na quinta ou sexta-feira da semana que vem”, avalia.


Com elementos característicos de praças das cidades do interior, o parklet, também chamado de varanda urbana ou minipraça, tem 10 metros de comprimento por 2,2 metros de largura e é equipado com bancos e luminárias com luz fotovoltaica (solar).


A proposta, segundo Marcos Innecco, é criar um ambiente de convivência e permanência para as pessoas, humanizando as ruas da capital. “Devem ser instaladas dez varandas urbanas na capital até o fim deste ano e outras dez em 2016”, adianta.


Entretanto, a Secretaria de Planejamento Urbano informa que há apenas quatro pedidos em análise. Patrocinam o primeiro parklet, além da CDL, as empresas Colchões Ortobom, Ecobloc, Loja Elétrica e Flora Mangabeiras.


Montagem


Nesta quinta-feira (18), um funcionário instalava as chapas de aço na base da estrutura, que funciona como extensão do passeio público. “Falta a jardinagem e os pontos de energia”, informou Marcus Machado, que presta serviços a uma das patrocinadoras. Segundo ele, a montagem “demora 20 dias, dependendo do grau de dificuldade do projeto”.


A gerente da Ortobom, Maria Souza Mota Costa, afirma que a varanda urbana é boa para se fazer um lanche, conversar com amigos ou simplesmente ver a vida passar. “Será muito bom para nós e para as lojas vizinhas. O prefeito vem inaugurar na semana que vem”, diz.


Instalação no Mangabeiras começa ainda nesta semana


O segundo parklet começa a ser montado esta semana na avenida Bandeirantes, entre as ruas Ribeiro Junqueira e Júlio Vidal, no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul da capital.


“A BHTrans está isolando a área hoje (quinta)”, disse o vice-presidente da CDL-BH, Marcos Innecco. A estrutura terá 7 metros por 2,2 metros e segue um estilo mais contemporâneo. Ele explica que a Prefeitura libera os locais e cabe às empresas parceiras o investimento na montagem e manutenção das varandas, que podem ter estrutura e mobiliário variados.


“A rua é importante para os dois – a Prefeitura e o comércio. O parklet cria um ambiente sadio e atrativo, que vai maximizar negócios. Apesar de pequena, a varanda urbana passa uma boa imagem das empresas patrocinadoras”, avalia Marcos. Segundo ele, uma pesquisa do Ibope aponta que 63% dos consumidores trocariam a marca preferida por outra que cuida bem da cidade. Os equipamentos ficarão por dois anos nesses locais. As estruturas não poderão ser de uso exclusivo de quem instalar.


Feita com material reciclado e ferro fundido, a varanda urbana usará energia solar e terá pontos para recarga de celular e wi-fi