A Escola Municipal Adão de Fátima Pereira, em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), foi interditada após uma forte pancada de chuva que atingiu o município na noite de terça-feira (9). A Defesa Civil Municipal foi acionada por um vigia da escola e constatou que o teto da prédio começou a ceder e provocou várias trincas nas paredes do corredor da instituição, o que motivou o fechamento da escola até a próxima sexta-feira (12).

Na manhã desta quarta-feira (10), quando os estudantes chegaram para as aulas encontraram a instituição de ensino fechada. Segundo o agente da Defesa Civil, Tadeu Rodrigues, a escola deve permanecer fechada para que os engenheiros do órgão e também da Secretaria Municipal de Obras possam avaliar se há risco para os alunos e se serão necessárias obras de reparo. "Quando a gente fala que houve trinca não deixa de haver um risco e o nosso trabalho é prevenir acidentes", explica o agente justificando a interdição.
 
Tadeu Rodrigues relatou, ainda, que há aproximadamente 20 dias a quadra onde os alunos realizam as aulas de Educação Física também foi interditada após uma chuva na cidade. Segundo o agente da Defesa Civil, no local algumas paredes trincaram e o solo cedeu trazendo riscos para os alunos e professores. "Essa área é de maior risco na escola e já estava totalmente isolada", explica. Conforme o agente, o problemas podem ter sido motivados porque a escola foi construída sobre um aterro, aumentando os riscos de movimentação do solo. 
 
Mas de acordo com a inspetora da Secretaria Municipal de Educação de Sabará, Maria Alda Serbate, a interdição da escola é apenas para que os engenheiros avaliem a situação do prédio, mas não acredita que haja riscos para os alunos. "Foi só uma medida preventiva e para garantir a segurança dos alunos. Não há problema nenhum na estrutura da escola", garantiu a inspetora, que também é engenheira e esteve na escola esta manhã. Ela afirmou ainda que todas as aulas perdidas serão devidamente repostas.
 
Ainda conforme Maria Alda, as trincas foram provocadas pelo sistema de calhas e captação de água da chuva, que não comportou a forte chuva que caiu na noite de terça-feira. Já sobre a quadra interditada, a inspetora garantiu que as aulas de Educação Física estão acontecendo normalmente em outra área da escola e a estrutura da quadra foi quebrada pela população que mora no entorno da instituição de ensino. Ela garantiu também que a prefeitura está tomando todas as providências necessárias para realizar os reparos na quadra o mais rapidamente possível.