O governador de Minas, Romeu Zema (Novo), anunciou que abre, nesta quinta-feira (16), consulta pública para ouvir prefeitos sobre o Programa Minas Consciente, que traz protocolos para a flexibilização da quarentena. Zema antecipou a novidade em transmissão ao vivo em uma rede social, na tarde desta quarta-feira (15). 

"A partir de amanhã (quinta), o Minas Consciente disponibilizá uma consulta pública para escutar os municípios para essa próxima fase. Queremos a contribuição de todos para que ele seja aprimorado", afirmou o governador. O espaço de consulta será aberto por meio do site mg.gov.br/Minas Consciente.

Ele destacou também a importância do programa Minas Consciente e do fato de o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ter conseguido, na semana passada, um parecer favorável junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para obrigar os municípios a seguirem as diretrizes propostas pelo Governo do Estado no enfrentamento da doença. Pela liminar, os prefeitos não podem contrariar as regras previstas em deliberações do executivo estadual. A decisão causou descontentamento em várias cidades, e houve prefeitos que questionaram a decisão no Supremo Tribunal Federal. 

Até o momento, 199 cidades aderiram ao programa, o que representa cerca de 4,5 milhões de mineiros abrangidos. O programa "Minas Consciente" setoriza as atividades econômicas em quatro ondas (onda verde – serviços essenciais; onda branca – baixo risco; onda amarela – médio risco; onda vermelha – alto risco), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença.

No pronunciamento, Zema disse que acredita na estabilidade do número de casos e mortes a partir de agora, uma vez que o estado atingiu o platô, ou seja, que o contágio tenha se estabilizado em um patamar alto. "O que nós estamos vendo agora é que esse aumento de casos não se configurou em um pico tão grande", afirmou.

Durante a live, Romeu Zema estava sem máscara, mas explicou que não estava usando o equipamento de proteção porque havia uma divisória entre ele e os secretários. Ele estava acompanhado do secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, e do secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

Ocupação dos leitos

A taxa de ocupação dos leitos de UTI do SUS está em 70% no Estado. Na região Central, esse índice chega a 82,99%. São 3.454 leitos de UTI públicos. Já a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria em Minas está em 60,77%. São 20.626 leitos de enfermaria. Na região Central, a taxa chega a 76,27%.

Volta às aulas

O governador anunciou que os próximos dias serão fundamentais para a definição sobre o retorno das aulas presenciais, mas foi cauteloso. "Isso tem que acontecer no momento certo e o momento certo vai depender dessa curva da pandemia, que ao que tudo indica, começa a estabilizar. Se ela realmente estabilizar e começar a ter uma leve queda, será o momento de nós retomarmos as aulas", disse Zema.